Compartilhe

A publicidade, o tempo, o YouTube e a música “O Mundo Dá Voltas” do CPM 22: o que tudo isso tem em comum? Um passado cobrando. E todos eles parecem puxar o pé da Samsung depois do lançamento do Galaxy Note 10.

O novo modelo top de linha da Samsung é o primeiro a remover o conector de áudio de 3.5 mm para fones de ouvido. Esse pode ser um assunto menor para você, já que muita gente está optando por fones de ouvido sem fio ou conexões USB Type-C. Porém, para muita gente, a amnésia não existe. E não se esqueceu do que a Samsung falou sobre esse tema no passado.

A Samsung (e outras marcas) destacaram os pontos negativos dos seus rivais, ridicularizando todos eles na publicidade. O principal alvo da empresa era (e continua a ser) a Apple, empresa com quem os coreanos mais fizeram bullying nas campanhas publicitárias.

O marketing da Samsung sempre se valeu da ridicularização do rival. A cada lançamento, os coreanos lançavam um comercial destacando as vantagens dos seus novos produtos, mas também ridicularizando de todas as formas possíveis e imagináveis a Apple.

E exemplos para demonstrar esse ponto não faltam.

 

 

A hipocrisia de quem diz que cresceu fazendo piadas infantis

 

 

O anúncio Growing Up mostra as vantagens do Galaxy Note 8, em um formato bem infantil (por isso o seu título é meio irônico), já que ridiculariza a Apple de forma quase absurda pelo notch e detalhes do iPhone que, questionáveis ou não, ficam claramente exagerados.

A Samsung ri do usuário clichê da Apple, o clássico fanboy que todo ano fica na fila para comprar um novo iPhone que não melhora em nada, chegando a fazer referência a um “novo” iPhone 6.

Mas o grande problema desse anúncio está na referência jocosa aos fones de ouvido. A conexão clássica que, na época, já estava entrando em extinção, mas que a Samsung adotava em todos os seus dispositivos. Esse elemento foi utilizado para atacar a Apple e sua decisão em remover tal conector. Uma decisão que a Samsung não mediu palavras para chamar de “ridícula” na época.

No comercial, a Samsung ri de um usuário do iPhone que, ao ter pouca bateria, precisa usar adaptadores para poder carregar o smartphone e ouvir música ao mesmo tempo. De novo: isso é ridículo e infantil (além de perigoso, pois não é recomendado usar qualquer smartphone durante o processo de recarga).

Mas aí vem o ano de 2019, e o Galaxy Note 10+ diz adeus ao conector para fones de ouvido.

Essa decisão foi necessária para que o smartphone recebesse uma bateria de 4.300 mAh, e o mesmo movimento é adotado por muitos fabricantes, pelo mesmo motivo. Porém, o grande problema dos comerciais da Samsung é que a mesma se reafirma como uma marca que tem como bandeira esses pequenos detalhes que a distanciavam da Apple.

Porém, cedo ou tarde, a Samsung acabaria cedendo à tendência, e hoje tais comerciais não apenas mostram uma clara falta de visão de futuro, mas também uma explícita publicidade tóxica.

 

 

É claro que a Samsung riu do notch. Mas…

 

 

Em outras ocasiões, a Samsung riu do notch. Como todo mundo bem sabe, o iPhone X popularizou a monocelha na tela de forma quase inesperada. E praticamente todas as demais marcas seguiram essa tendência. Hoje, o notch tradicional é tão mal falado que todos buscam minimizá-lo ou fazer desaparecê-lo.

Tudo bem, a Samsung não adotou o notch tradicional da Apple, optando pelo notch em forma de gota, furos na tela ou câmeras retráteis. De qualquer forma, é o marketing dos coreanos mais uma vez sendo infantil.

E… não… a Samsung não usou o notch do iPhone X… mas usou notch sim!

Outro exemplo da forma imbecil da Samsung em promover os seus produtos é rindo dos Genius, os especialistas na App Store, a ponto de rir do suporte físico da empresa. Mais uma vez, é hipocrisia à vista: as lojas físicas da Samsung lembram as lojas da Apple, inclusive os seus atendentes.

 

 

Citamos vários precedentes que tais detalhes que antes diferenciavam a Samsung agora não fazem o menor sentido. Os coreanos cederam ao notch, cederam ao fim do conector de fones de ouvido e, o mais grave de tudo isso: os dois itens pouco importam hoje.

A Samsung entrega ótimos smartphones, e entendeu o que os seus usuários querem, com boas autonomias de bateria, expansões de armazenamento via microSD e câmeras excelentes. Logo, as ‘humilhações’ não levavam a lugar nenhum.

Muito pior agora é a Samsung sendo obrigada a se humilhar, retirando aos poucos os vídeos dos comerciais do passado do YouTube, diante da má fama que isso poderia dar ao lançamento do Note 10. É bom ver os vídeos desaparecendo, mas rir do rival e esconder a pedra que atirou é, na verdade, uma prova clara que nem a própria Samsung tem culhões para manter a piada.

A pergunta que fica nesse momento é: a Samsung voltará a produzir comerciais dessa índole no futuro?

Eu espero que não. Caso contrário, eu estou aqui para enfiar o dedo na cara da Samsung. Tantas e quantas vezes forem necessárias.


Compartilhe