O que você faz quando as operadoras se recusam a vender os seus smartphones? Simples: chama a Mulher Maravilha!

A Huawei não desiste. Depois de ver recusada a sua proposta de parceria com as principais operadoras norte-americanas, e 90% de todos os smartphones vendidos nos EUA virem das operadoras, a marca decidiu apostar na atriz Gal Gadot para obter reconhecimento internacional.

A campanha de marketing já devia estar planejada bem antes de AT&T e demais operadoras dizerem não. Porém, é um plano que não deixa de ser estranhamente familiar.

Não é a primeira vez que o CEO da Huawei, Richard Yu, oferece previsões ousadas sobre o mercado norte-americano. Mas ano após ano, tais previsões falham, e a Huawei fracassa em tentar adentrar com força naquele mercado.

Mas estamos falando da Huawei, o terceiro maior fabricante de dispositivos móveis do planeta. E essa nova polarização de interesses da marca pode resultar em um maior investimento no marketing alocado para os EUA.

Um dos efeitos imediatos disso é que a Mulher Maravilha se tornou a nova CEO da Huawei. E, por CEO, entenda-se Chief Experience Officer, ou seja, Gal Gadot tem como missão ajudar a marca a encontrar o ‘sweet spot’ no que se refere à experiência de uso de um smartphone. De forma secundária, o objetivo da marca ao colocar Gadot nesse posto é afastar-se um pouco da estigma de ‘smartphone de marca chinesa’, ocidentalizando a empresa como um todo.

A nova embaixadora da Huawei terá como papel principal ouvir os consumidores e ajudar a empresa a encontrar o que consumidor norte-americano quer e espera em um smartphone.

É um cargo mais cerimonial do que qualquer outra coisa. O papel de Gal Gadot nisso tudo pode não ir além de campanhas de marketing e relatos de experiência de uso de um smartphone Huawei nas suas redes sociais oficiais.

De qualquer forma, apostar em Gal Gadot é uma boa estratégia. Ela foi uma das atrizes mais bem pagas de 2017, e pode ajudar a promover uma marca que os norte-americanos (e alguns brasileiros) tem até dificuldades em pronunciar seu nome.

UAUEI! ;)

 

 

 

Via TechCrunch