TargetHD.net | Notícias, Dicas e Reviews de Tecnologia Gadget do Dia | Xiaomi Book Air 13 | TargetHD.net Press "Enter" to skip to content
Wetten.com Brasil Apostas
Você está em | Home | Notebooks, Ultrabooks e Conversíveis | Gadget do Dia | Xiaomi Book Air 13

Gadget do Dia | Xiaomi Book Air 13

Compartilhe

Eu estou vivendo de forma intensa a fase dos notebooks ultrafinos.

Em breve, vou publicar aqui no blog o review do Samsung Galaxy Book2 360, e ainda em novembro sai o review do Samsung Galaxy Book2 Pro. Sem falar que testei em 2022 o Lenovo Yoga 7i, o Samsung Galaxy Book S e o ASUS Zenbook 14. Em comum, todos contam com menos de 1.5 kg e baixíssima espessura para melhorar a portabilidade.

Mas nenhum deles consegue alcançar o nível de portabilidade do Xiaomi Book Air 13, um portátil que é absurdamente fino e compacto, mas não abre mão de contar com um hardware potente para uma experiência de uso mais completa.

Vamos ver neste artigo se vou ter que vender todos os notebooks que tenho aqui para comprar o Xiaomi Book Air 13, e se ele pode acabar com o irmão de nome fabricado pela Apple.

 

Muito fino e leve, ideal para portabilidade

Eu nem precisava dizer isso, pois a existência do produto e deste artigo deixam claro isso, mas o principal destaque do Xiaomi Book Air 13 é o seu design ultrafino.

O portátil conta com nada menos que 12 mm de espessura, empatando neste aspecto com o MacBook Air M2 da Apple. No mundo dos computadores ultrafinos com Windows, é muito difícil encontrar algo tão fino quanto ele, e a propaganda apelativa do fabricante faz com que o modelo seja ainda mais atraente para quem prioriza a produtividade em um computador portátil.

Olhando de longe, ele parece ter um perfil ainda mais fino, pois se beneficia de forma direta do fato de contar com uma tela OLED de 13.3 polegadas. Esse tipo de tela é menos espessa pela própria natureza, e isso ajuda de forma decisiva no design desse dispositivo.

De um modo geral, esse é um dispositivo que passa a sensação de leveza, portabilidade e até delicadeza na sua proposta estrutural. Seu peso de 1.2 kg está dento do que se pede para a sua proposta de produto, tornando o dispositivo perfeito para quem quer colocar o computador na mochila para trabalhar em qualquer lugar.

 

Falando um pouco mais da tela…

Eu já mencionei que o Xiaomi Book Air 13 conta com uma tela OLED de 13.3 polegadas. O que eu não falei ainda é que essa tela conta com resolução de 2880 x 1800 pixels (16:10), taxa de atualização de 60 Hz, proteção Gorilla Glass 3, é sensível ao toque e recebe os recursos Dolby Vision e HDR 500.

Além disso, essa é uma tela é conversível em 360 graus, o que permite o uso do Xiaomi Book Air 13 no formato tablet, e cobre 100% do espaço de cores DCI-P3.

Ou seja, é o tipo de tela que promete fazer a alegria dos mais produtivos e profissionais de imagem, pois entrega uma excelente qualidade final de imagem e fidelidade de cores. Aliás, é muito bom ver os fabricantes apostando nas telas OLED nos notebooks ultrafinos, deixando de lado o medo do ‘burn-in’ para priorizar a baixa espessura da proposta desses computadores.

 

O desempenho que se espera de um notebook como esse

Até mesmo pelo perfil de construção desse tipo de portátil, o Xiaomi Book Air 13 não pode ir muito além dos processadores da série U da Intel, voltados para a maior eficiência energética. A boa notícia é que as duas últimas gerações de processadores desse fabricante não abrem mão da ótima experiência de uso e boa performance.

Dito isso o Xiaomi Book Air 13 está disponível em duas versões, com chips Intel Core i5-1230U e Intel Core i7-1250U, trabalhando com 16 GB de RAM LPDDR5 e 512 GB de armazenamento em SSD PCIe 4.0.

Esses não são os processadores mais potentes da Intel da série U (o meu Galaxy Book2 360 conta com um Core-i7 1255U), mas isso não quer dizer que o portátil da Xiaomi vai entregar um desempenho ruim.

Só significa que a Xiaomi teve que fazer uma escolha para garantir a eficiência energética do portátil e até mesmo a experiência de uso em um produto com corpo tão fino. Pense na dissipação de calor que um portátil como esse precisa ter nas suas entranhas, e em como a engenharia interna do produto foi complexa para acomodar ventiladores em um corpo tão fino.

 

Bateria que promete um dia inteiro de funcionamento

O Xiaomi Book Air 13 conta com uma bateria de 58,3 Wh, o que promete uma autonomia de mais de 12 horas de uso. E todo mundo sabe que esses números podem variar, de acordo com o perfil do usuário e a tarefa em execução. Só os testes práticos com o produto vão revelar a verdade.

E se você ficar sem bateria durante a jornada de trabalho, ainda pode contar com o modo de recarga rápida que recupera 50% da energia na bateria em apenas 48 minutos. Ou seja, você pode garantir que vai trabalhar o dia inteiro durante a sua pausa para o almoço.

Por fim, reforça o trabalho de engenharia interna da Xiaomi o fato desse notebook ainda abrigar dois alto-falantes estéreo compatíveis com a tecnologia Dolby Atmos, webcam com resolução de 8 MP com recursos avançados (desfoque de fundo, enquadramento inteligente etc.), duas portas Thunderbolt 4 e entrada P2 para fones de ouvido e microfone, além de chips para WiFi 6E e Bluetooth 5.2.

E eu nem preciso dizer que este notebook conta com teclado retroiluminado, com teclas de tamanho completo, algo que os produtivos e digitadores de plantão agradecem. E todo o conjunto de hardware é gerenciado pelo Windows 11.

 

Xiaomi Book Air 13: quanto custa?

O Xiaomi Book Air 13 tem preços iniciais sugeridos de 4.999 Yuans (ou R$ 3.717) e 5.599 Yuans (ou 4.163). Os valores em reais foram determinados por conversão direta, e não necessariamente serão aqueles cobrados aqui no Brasil quando esse produto chegar por aqui (se é que ele um dia vai chegar; não há confirmação de lançamento por aqui).

Se ele desembarcar em nosso mercado por vias oficiais, podemos esperar que ele vai custar, no mínimo, o dobro dos valores convertidos. Se não custar o mesmo que cobram hoje pelo Galaxy Book2 360 da Samsung.

E é claro que eu gostaria de ao menos chegar perto de um produto como esse um dia. Quem sabe em 2023, quando devo visitar um país vizinho para fazer algumas compras…


Compartilhe