Futuro da TV a cabo está nas mãos da ESPN

Compartilhe

Que a ESPN é o canal líder mundial em esportes, você sabe disso desde 1990 (pelo menos). Agora, que o futuro da TV a cabo está nas mãos da mesma ESPN, é algo que você precisa saber.

Bob Iger voltou para a Disney, e não sabe direito o que fazer com a ESPN. Ou pelo menos existem rumores de que ele não saiba, já que existe um falatório sobre uma possível venda do canal esportivo para reequilibrar as contas da empresa do Mickey.

Um segundo plano parece estar mais do que engatilhado: a migração dos canais ESPN para o streaming. E se isso acontecer, a TV a cabo pode decretar a sua morte, de uma vez por todas.

 

ESPN vai migrar seus canais para o streaming

O próprio Bob Iger afirma que a migração da ESPN para o streaming por completo vai acontecer no futuro. Não é uma questão de “se”, mas sim de “quando”.

E eu explico: neste momento, o Star+ (ou o ESPN+ lá fora) exibe apenas os eventos ao vivo da ESPN, mas não a programação na íntegra dos seus canais. E isso já é algo incrível para quem quer se livrar da TV por assinatura porque só assiste esportes quando está em casa (ou fora de casa).

Mas não é de forma exclusiva. Ainda faz sentido para a ESPN transmitir todo o seu conteúdo na TV por assinatura, e o motivo é bem esse que você está imaginando: isso ainda dá dinheiro para a Disney, com receitas de US$ 28 bilhões por ano.

Por outro lado, o número de eventos exclusivos da ESPN aumentando no streaming, e um possível novo contrato com a NBA que deve começar em 2025, temos o que seria o cenário perfeito para a migração da programação integral dos canais esportivos da Disney para as plataformas digitais.

A única coisa que impede isso são os números de assinantes que ainda pagam um pacote de TV por assinatura para ter a ESPN como canal esportivo. A diferença de valores arrecadados pela TV tradicional (que paga mais por assinante) ainda é elevada, e a migração para o streaming não é um bom negócio, por enquanto.

Em compensação, o número de assinantes da ESPN+ não para de subir, enquanto os assinantes da ESPN via TV a cabo estão abandonando um formato que é arcaico e ultrapassado.

No meio do caminho de tudo isso, temos a Disney, que tenta reduzir custos a todo custo. Vai de demitir funcionários com elevados salários até cortar alguns talentos na frente das câmeras que recebem salários elevados.

É uma equação complicada. Mas se a ESPN migrar de vez para o streaming, quem vai sair ganhando é o assinante, que vai pagar um valor muito menor para ter os canais em sua casa, na TV, no smartphone, no tablet ou em qualquer outro dispositivo.

 

Quando acontecer, a TV a cabo estará praticamente morta

O que ainda justifica o pagamento de um pacote de TV por assinatura é a combinação noticiário ao vivo + eventos esportivos ao vivo. E isso está acontecendo em todo o planeta.

Aqui no Brasil, as operadoras de TV paga precisam lidar como incômodo que é ter a Globoplay como um forte concorrente do seu ultrapassado modelo de negócio. E para sacanear, o streaming do Grupo Globo tem um combo com o Star+ que, em conjunto com os canais ao vivo, oferece praticamente todo o conteúdo esportivo que a maioria dos fãs de esporte pode querer ter.

Se os canais ESPN migrarem para o streaming, será o início do fim da TV a cabo, tal e como conhecemos. Ou o modelo de negócio que aprisionou os assinantes por décadas muda para algo mais flexível nas escolhas de canais, ou as operadoras ficarão sem pai nem mãe, perdendo um dos principais atrativos para os assinantes.

Neste momento, a Disney possui um enorme poder nas mãos, por mais que ainda queira se livrar da ESPN de alguma forma. Se decidir manter os canais da Líder Mundial em Esportes, pode não só conseguir uma avalanche de assinantes, como também destrói de vez uma concorrência que jamais se sentiu tão ameaçada.

Para mim, tanto fez como tanto faz. Já sou um feliz assinante do Star+, e pagando menos do que o valor sugerido por causa da parceria com o MercadoLivre. Mas será muito interessante ver as operadoras de TV paga com o pires na mão, implorando para o Mickey para deixar os canais ESPN exatamente onde estão.

Mas é o Bob Iger quem manda. E se depender dele… já dá pra imaginar qual é a decisão…


Compartilhe