Fato: o Facebook não é mais capaz de encontrar sozinho as falhas técnicas nas plataformas sociais. E vai pagar para quem encontrar qualquer tipo de vulnerabilidade envolvendo a sua plataforma e aplicativos de terceiros.

O valor mínimo de pagamento para quem encontrar tais vulnerabilidades é de 400 euros, e o objetivo é garantir (na medida do possível) a segurança dos usuários na hora de se conectar com tais aplicativos através de sua conta no Facebook.

O programa de recompensas já está em vigor, e os valores podem variar de acordo com a gravidade ou magnitude da falha detectada.

O Facebook sempre se complicou quando o tema é a privacidade. São mais de 2 bilhões de usuários em todo o mundo, e essa massa de dados nas mãos de poucas pessoas é o chamariz para que qualquer um queira se apoderar disso para comercializar essa mina de ouro com terceiros.

O escândalo envolvendo a Cambrige Analytica fez com que o Facebook tomasse medidas mais severas nesse aspecto, e o programa de recompensas é parte dessas medidas.

Hoje, não sabemos quantos aplicativos convivem com o ecossistema da rede social, mas está claro que muitos deles podem acessar nossos dados sem a nossa permissão, e nem sabemos como esses apps vão usar esses dados.

Um suposto estudo universitário pode resultar em uma massa de manobra para manipular campanhas eleitorais, por exemplo. E isso fatalmente joga contra a já fragilizada reputação do Facebook.

 

 

Como colaborar encontrando vulnerabilidades?

 

 

Para ajudar o Facebook, você pode informar sobre uma vulnerabilidade encontrada o quanto antes. Nessa página estão as normas e a política de divulgação responsável das falhas, as regras para receber as recompensas e exemplos de coisas que não devem ser notificadas.

Por outro lado, o Facebook também oferece maneiras de informar sobre outros problemas e falas não recompensadas, como denúncias de contas que enviam links suspeitos ou notificação de usuários com condutas abusivas.