Facebook sabe onde você está, mesmo quando o GPS está desligado

Compartilhe

Parece que sempre dá para piorar com o Facebook. Para fechar o ano de 2019 da pior forma possível, a empresa comandada por Mark Zuckerberg reconheceu em um documento enviado para dois senadores algo que muita gente sempre desconfiou: que a rede social pode saber qual é a localização dos seus usuários, mesmo que o recurso de geolocalização esteja desligado no smartphone, ou inclusive quando o usuário não aceitou dar a permissão de acesso à localização.

 

 

Zuck sempre sabe onde você está

Os senadores que questionaram o Facebook sobre essa questão são Josh Hawley (republicano) e Chris Coons (democrata). Os dois afirmaram que a rede social não respeitava esse aspecto de privacidade dos usuários, e a rede social respondeu aos dois no último dia 12 de dezembro, em uma carta com a admissão de culpa. De forma muito clara, e assinada por Rob Sherman, Vice-Presidente e Sub-diretor Geral de Privacidade do Facebook:

“Quando os serviços de localização são desligados, o Facebook pode aprender sobre a geolocalização das pessoas usando informações que elas compartilham por meio das suas atividades no Facebook ou endereços IP e outras conexões de rede que elas usam.”

Na prática, os endereços de IP são utilizados para localizar os usuários no mundo. Podem não ser tão precisos como a geolocalização por GPS e redes WiFi, mas é o suficiente para o Facebook saber mais ou menos onde você está o tempo todo e, assim, aprender os seus hábitos, gostos e interesses.

O Facebook também pode rastrear o usuário pela localização indicada manualmente na rede social ao enviar imagens com metadados de geolocalização registrados pelos aplicativos de câmera. E, repito: o Facebook faz isso sem você ter o conhecimento ou dar o consentimento para utilizar esses dados.

Na resposta dada aos senadores, o Facebook informa que pode obter a geolocalização do usuário por três formas:

1. Sinal de GPS: com o GPS ligado, o Facebook identifica a nossa localização com precisão.
2. Endereço de IP do dispositivo: aqui, o Facebook consegue a sua localização aproximada, mesmo com uma precisão menor.
3. Tags em fotos: o Facebook pode deduzir a sua localização a partir das tags inseridas nas fotos registradas pela câmera do smartphone e publicadas nas redes sociais.

A rede social também foi questionada sobre os objetivos e finalidades para a coleta de dados de geolocalização. E a resposta basicamente foi “para várias coisas”: oferecer publicidade é o principal motivo (pois é disso que o Facebook vive e se alimenta):

“Por necessidade, praticamente todos os anúncios no Facebook são orientados por localização, embora a maioria dos anúncios seja dirigida a pessoas em uma determinada cidade ou região maior”.

Um dos senadores criticou fortemente a forma de agir do Facebook, indicando que os esforços da rede social em proteger a privacidade dos seus usuários “são insuficientes e até mesmo enganosos”. O Facebook alega que os usuários estão no controle da sua própria privacidade, mas na realidade os usuários não têm nem mesmo a opção de impedir a coleta de dados e a exploração financeira de suas informações.

 

 

Não existe almoço grátis, e nunca existiu

Não se engane: para o Facebook, você é um produto, mesmo quando você não quer ser. Tudo o que foi relatado aos senadores por parte do Facebook deixa isso muito claro, e muitos de nós que estão mais íntimos com o mundo da tecnologia já tinha conhecimento que era assim que funcionava. O Google e outras empresas fazem exatamente a mesma coisa, mas com métodos diferentes. E o mais grave de tudo isso é que a rede social de Mark Zuckerberg não oferece alternativas para parar com essa invasão de privacidade.

Resumindo: para o Facebook, a geolocalização oferece maior segurança para as contas, para os serviços e uma publicidade mais eficiente. Por outro lado, (quase) ninguém sabe que ela faz isso. E você com certeza não se lembra de ter autorizado a ter essa coleta de dados de forma não transparente.

Quem sabe tais regras estão naqueles termos de uso que você aprovou quando criou a conta no Facebook e que (quase) ninguém lê. Mas… mesmo assim… você não acha que merecia saber disso?

Sim. Você merecia saber disso. Mas a privacidade como conhecíamos acabou. E a única forma de se manter distante dos olhares de Mark Zuckerberg é ficar fora de suas soluções conectadas.

E, mesmo assim, existe a chance de você estar lá, por causa das fotos onde você aparece com os seus amigos.

 

Via CNBC


Compartilhe