Mais uma polêmica envolvendo o Facebook e o Twitter, mas dessa vez as duas redes sociais não estão com os dedos apontados para ela. O problema agora é da Unicode, empresa encarregada de inventar, aprovar e lançar os emojis que todos nós conhecemos e utilizamos. Tudo começou como algo engraçado, assim como começam tantas histórias sem sentido nessa vida.

Mas antes… uma pergunta: existe mesmo um emoji anti-gay no Facebook? Ele é real? É fake? É fruto da imaginação homofóbica?

Nesse momento, não existe uma resposta definitiva para essa pergunta. Bom, na verdade a resposta existe… só que não. A imagem que foi vista nas redes sociais (imagem essa que ilustra esse post) não corresponde a um emoji real ou que realmente exista, mas é um bug que acontece em um dos emoticons presentes no iOS, uma vez que a junção de dois emojis resultam nessa imagem que estamos vendo.

É algo tão simples e, ao mesmo tempo, tão desconhecido por tanta gente. E isso fez com que um porta-voz do Twitter se declarasse sobre o assunto.

Para a rede social do passarinho azul, não é uma violação das regras utilizar dois emojis juntos, mas dependendo do contexto do tweet em questão, pode vir a ser. Se ele transmite uma mensagem de ódio, a pessoa por trás da mensagem será advertida ou eliminada da plataforma.

Talvez você não consiga ver tal efeito nos emojis, já que ele só se faz presente no iOS. Em computadores e na maioria dos smartphones Android (em alguns é possível que apareça), a falha passa batida. Ou seja, a melhor resposta para essa problemática é que uma criativa e doentia mente homofóbica resultou em um emoji tão infeliz.

A Unicode não criou um emoji homofóbico. Foi a homofobia das pessoas que deram mau uso aos emojis. Assim como em quase tudo o que os homofóbicos tocam, que resulta em uma grande merda.

 

Via @Emojipedia