Compartilhe

Todo mundo sabe que as normas de uso e comportamento do Instagram são muito questionáveis. A perseguição contra aqueles que assediam ou incitam o ódio é louvável, sem falar na tentativa de mitigar os casos de baixa auto estima, eliminado a contagem (e a ditadura) de likes.

Porém, a plataforma ainda não sabe lidar muito bem com a nudez. Uma mulher não pode mostrar os seios em uma foto do Instagram. Caso contrário, a foto será eliminada e a conta pode ser cancelada. Já um homem pode aparecer com o dorso desnudo.

O “dois pesos e duas medidas” do Instagram foi ilustrado em um novo caso, onde milhares de profissionais de conteúdo para adultos estão envolvidos.

 

 

Mais de 1.300 estrela do pornô com contas censuradas por fotos inocentes

 

 

A Adult Performers Actors Guild dos EUA, o sindicado dos atores e atrizes pornô, denuncia que mais de 1.000 sócios da entidade perderam as suas contas no Instagram por “ir contra as normas de comportamento” da plataforma. Porém, mesmo que as contas sejam de pessoas que produzem conteúdos pornográficos, nudez e atos sexuais não simulados, as contas foram canceladas sem ter um conteúdo ou comportamento censurável.

Ou seja, as contas apresentavam imagens que não incitavam o ódio ou violência, não apresentavam nudez o qualquer conteúdo abusivo e, em alguns casos, eram fotos bem inocentes… e ainda assim, o Instagram estava encerrando as contas.

Os afetados podem até apelar e reconquistar o direito à conta, mas o estrago já está feito, especialmente por serem contas de personalidades públicas, onde o contato direto com outros usuários é parte do sucesso do seu trabalho.

Facebook e Instagram estão entrando em um terreno perigoso, pois a plataforma permite (por exemplo) que um usuário assediador diga coisas como “as mulheres são um lixo”, mas a frase “os homens são um lixo” pode ser considerada uma manifestação e delito de ódio. Sem falar nas fotos onde as mulheres são tratadas como troféus, que são permitidas sem maiores problemas.

Os atores e atrizes pornô garantem que, no final de 2018, iniciaram uma campanha promovida por uma série de pessoas com o objetivo de reportar em massa várias contas nas redes sociais. Ações que, em linhas gerais, contavam com mensagens intimidatórias e abusivas. A suspensão dos perfis não só afeta uma das principais vias de promoção e comunicação com o público ou da indústria, mas também os lucros obtidos pela presença na plataforma.

Até que as redes sociais avancem e contem com filtros de conteúdo adequado, vamos seguir testemunhando aberrações de julgamento deste porte. Enquanto isso, é nossa responsabilidade fazer um uso responsável dessas plataformas.

 

Via The Next Web, BBC


Compartilhe