Fato: todos sabemos que os celulares emitem algum tipo de radiação. Por mais que muitos de nós tentemos negar, o risco existe. Mas pode (e deve) ser controlado pelos fabricantes, estabelecendo níveis seguros de emissão dessa radiação.

Para que um dispositivo consiga chegar ao mercado, os níveis de radiação são medidos individualmente, modelo por modelo, onde os institutos medidores precisam identificar se o dispositivo está dentro de uma faixa segura de emissão de radiação. Se esse limite for superado, ele não pode ser utilizado e, consequentemente, chegar ao mercado.

Vale lembrar que o máximo permitido é muito abaixo do nível que, eventualmente poderia provocar danos a qualquer ser humano. Ou seja, logo de largada podemos afirmar que todo e qualquer smartphone disponível no mercado hoje é seguro para o uso, independente da condição de saúde do indivíduo.

Mesmo assim, não deixa de ser chamativo saber quais são os 15 celulares com maior nível de radiação. E mais curioso ainda é perceber que existe um padrão de emissão entre os dispositivos de fabricantes chineses.

 

 

O estudo foi realizado pela Statista, e nos mostra que o muito popular Xiaomi Mi A1 é o dispositivo que mais emite radiação. Lembrando que este é um dos modelos de maior popularidade inclusive no Brasil, com um volume de vendas bem interessante.

Por outro lado, os modelos da Huawei lançados nos anos anteriores também entram nessa lista de elevadas emissões de radiação. Mas os modelos mais recentes não estão na lista, o que mostra a preocupação do fabricante com os seus produtos nesse aspecto.

Enquanto isso, a Apple possui alguns dispositivos nessa lista, e a Samsung não aparece entre os maiores emissores de radiação.

É importante reforçar que não precisamos ser absolutamente paranoicos para esse cenário, e que podemos utilizar o smartphone normalmente, inclusive levando o dispositivo até a cabeça para atender uma chamada telefônica. Porém, os mais preocupados sempre podem utilizar fones de ouvido.

 

Via Statista