Press "Enter" to skip to content
Você está em | Home | Dicas, Truques e Macetes | Essa é a pior coisa que você pode fazer com o seu smartphone

Essa é a pior coisa que você pode fazer com o seu smartphone

Compartilhe

Até eu faço isso sem perceber. Logo, você também está fazendo, acredite. E por mais que tal prática aparentemente pareça algo bom para o seu smartphone com os sistemas operacionais Android ou iOS, saiba que é exatamente o contrário. E é melhor você aceitar isso.

A prática de fechar aplicativos abertos vem da primeira geração de smartphones, quando a RAM era mais limitada e os processadores eram menos potentes. Nós, membros da primeira geração de usuários de telefones inteligentes, somos os principais responsáveis por passar esse erro para as gerações que vieram depois de nós.

Hoje, chegou a hora de reparar esse erro histórico. Fechar aplicativos abertos no smartphone é um erro em todos os aspectos, e pode inclusive resultar um gasto maior de bateria, algo que todo mundo detesta.

 

Os smartphones já sabem otimizar o consumo dos aplicativos

Faz tempo que tanto o Android como o iOS podem gerenciar por conta própria os aplicativos abertos em segundo plano, com o objetivo de economizar bateria e recursos. As duas plataformas foram concebidas para manter vários apps em execução ao mesmo tempo, mas sofreram na primeira geração de telefones inteligentes por conta da RAM mais limitada.

Aplicativos que pedem mais memória recebem de forma automática a prioridade do Android para alocar mais recursos de hardware. Já os apps menos exigentes podem ficar em segundo plano, esperando para entrar em ação e evitando o consumo desnecessário de bateria.

E se você tem aplicativos em segundo plano, eles vão iniciar mais rapidamente do que se você encerrar tudo por completo, entregando assim um melhor desempenho na prática. Além disso, executar um app do zero gasta mais bateria do que se esse software ficar residente na memória.

Ou seja, essa atitude de fechar aplicativos o tempo todo, algo que você sempre achou que seria benéfico para o seu telefone, na prática só faz você perder tempo na vida e consumir recursos de forma desnecessária.

Por outro lado, alguns cenários obrigam o fechamento de aplicativos, como nos casos de um app bloqueado ou causando problemas. Porém, essas são as exceções e não a regra. O melhor mesmo é deixar esse software pronto para ser executado quando necessário.

Outro cenário onde fechar os aplicativos pode valer a pena é para aqueles softwares que você quase não usa, ou que você sabe que não vai utilizar por muito tempo, principalmente se são programas que naturalmente consomem muitos recursos do dispositivo.

Outra medida que você pode tomar para aumentar ainda mais a autonomia de bateria do smartphone é restringir o uso de dados de alguns aplicativos em segundo plano, principalmente nos casos de redes sociais e apps de mensagens instantâneas.

Dessa forma, você só vai receber as novas interações ou mensagens quando efetivamente deseja executar aquele aplicativo. E isso também pode ajudar a aumentar o foco e a concentração, já que o número de distrações ao restringir o consumo de dados em segundo plano reduz drasticamente.

 

O que você aprendeu aqui?

Que o ato de fechar aplicativos em execução o tempo todo é bem pior do que manter esses softwares abertos em segundo plano. Realizar esse procedimento várias vezes por dia ou o tempo todo é um desserviço ao bom funcionamento do telefone.

Dessa forma, não só a autonomia de bateria do smartphone é drenada mais rapidamente, como o desempenho geral do dispositivo sente os efeitos de se obrigar a abrir vários aplicativos do zero o tempo todo.

Você até pode fechar todos os aplicativos de tempos em tempos, até mesmo para resolver eventuais conflitos de performance. Mas adotar isso como hábito diário, acreditando que vai melhorar o desempenho do telefone é algo tão inútil quanto mascar chicletes para resolver uma questão de álgebra no vestibular da FUVEST.


Compartilhe