Parece a trama de um filme, mas não é. Uma espiã chinesa foi presa nos Estados Unidos enquanto tentava instalar um malware em uma das instalações de Donald Trump.

Mar-a-Lago, um resort de propriedade do Presidente dos Estados Unidos na Flórida, quase foi vítima de um fato insólito. Uma mulher chinesa de 32 anos conseguiu entrar nas dependências das piscinas do estabelecimento depois de burlar os controles iniciais, para posteriormente ser pega em uma mentira.

Quando perguntaram o que ela estava fazendo no hotel, ela inventou que estava ali para assistir a um ‘congresso das Nações Unidas’, algo que não estava na agenda do hotel. Isso fez com que os funcionários chamassem o serviço secreto norte-americano.

A chinesa tinha em seu poder dois passaportes chineses, quatro celulares, um disco rígido, um laptop e um pendrive, que era onde o malware estava armazenado e pronto para ser injetado no sistema de computadores do hotel. A mulher ainda tentou convencer os agentes que a sua única intenção era usar a piscina, mas iria nadar sem um traje de banho.

Vivendo e aprendendo. A gente vive e não vê tudo.

 

Via New York Times