O SIM Card, tal e como conhecemos até agora, foi fundamental para nossos smartphones, pois nos identifica como usuários de uma determinada operadora, permitindo o acesso à sua rede de cobertura. Mas com o passar do tempo, o cartão teve o seu tamanho reduzido: micro SIM, nano SIM e, agora, eSIM.

O eSIM promete revolucionar o mercado da telefonia, ocupando menos espaço nos dispositivos. Em fevereiro de 2016, fizemos um post na época do seu anúncio, explicando o seu funcionamento. Agora, faremos uma breve revisão, explicando melhor o que ele é e para quê serve.

 

 

O que é um eSIM?

 

 

Um eSIM é a evolução do SIM Card. É um cartão SIM integrado no dispositivo de tecnologia (smartphones, notebooks, smartwatches, tablets, etc).

O eSIM ocupa menos espaço que o nano SIM, o que libera mais espaço interno nos dispositivos. Pode não ser muito espaço, mas pode ajudar a (por exemplo) integrar uma bateria um pouco maior no smartphone, por exemplo.

 

 

Para quê serve um eSIM?

 

 

Uma das maiores vantagens do novo cartão virtual é a redução no tempo da troca da operadora, já que não será necessário esperar a inclusão da linha em um novo SIM em caso de portabilidade. Tudo é feito muito mais rápido.

Outra vantagem é que será mais simples trocar a tarifa de sua operadora atual. Para quem viaja para o exterior, pode contratar uma tarifa do seu destino com facilidade. O eSIM permite que você conte com sua tarifa contratada em qualquer dispositivo, ativando o serviço em cada um deles.

Todas essas vantagens não são destinadas apenas para o usuário, que obviamente tem a vida bem facilitada. Ao mesmo tempo, o eSIM significa uma economia de tempo e dinheiro para as operadoras, que poderão centrar os seus esforços e recursos para outros serviços.

Ou seja, o eSIM é uma revolução de futuro que vai trazer benefícios em vários âmbitos. A comunidade conectada agradece a sua chegada, mesmo dois anos depois de ser apresentada ao mundo.