Press "Enter" to skip to content
Você está em | Home | Internet | Elon Musk levou a internet da Starlink para uma tribo na Amazônia, e as consequências foram catastróficas

Elon Musk levou a internet da Starlink para uma tribo na Amazônia, e as consequências foram catastróficas

Compartilhe

Era uma vez uma tribo indígena na Amazônia que não sofria de um dos grandes males modernos da humanidade: o uso excessivo de smartphones por crianças e adultos. Essa tribo estava isolada do mundo virtual, pois não tinha nenhuma conexão com a internet…

…até nove meses atrás, quando Elon Musk decidiu implementar a sua tecnologia de internet via satélite da Starlink nessa tribo de 2.000 habitantes. E os resultados não poderiam ser piores.

Jornalistas do The New York Times conferiram o resultado prático da internet em uma tribo isolada da Amazônia. #SPOILER: aconteceu exatamente a mesma coisa que os “povos civilizados europeus” fizeram quando descobriram a América.

 

Os nossos problemas chegaram (de novo) na sociedade indígena

De acordo com a matéria do NYT (a partir de relatos com os moradores locais):

“Quando (a internet) surgiu, todo mundo ficou feliz. Mas agora as coisas pioraram (…) os jovens se tornaram preguiçosos por causa da internet. Eles estão aprendendo os caminhos das pessoas brancas.”

Os jovens indígenas passaram a participar das redes sociais, usaram videogames e assistiam jogos de futebol a partir da tela do smartphone, em um processo de digitalização que naturalmente possui efeitos benéficos.

Por outro lado, os malefícios também chegaram, já que os jogos violentos se tornaram uma constante, e um dos temores é que os jovens indígenas comecem a reproduzir esse comportamento.

Outra preocupação está na ausência de comunicação física entre as famílias, já que todo mundo passou a utilizar um aplicativo de mensagens instantâneas para se expressar. Da mesma forma que acontece na sua família durante o jantar em casa.

Sem falar que os indígenas ficaram naturalmente mais preguiçosos. Afinal de contas, é muito mais legal ficar vendo um vídeo no YouTube do que procurar por comida ou pescar.

Mas o ponto mais preocupante está na possibilidade de acesso à pornografia. Considerando o fato que até mesmo o Papa Francisco está (em teoria) a dois cliques de conteúdos adultos, é de se concluir que os jovens indígenas certamente estão buscando esse tipo de conteúdo, inclusive em nome da variedade estética.

 

Os responsáveis por tudo isso

Para começar, o líder da tripo em questão, Enoque Marubo, é um dos responsáveis diretos pelos resultados práticos desse cenário. Ele viu o potencial da Starlink em oferecer essa conectividade no local e conseguiu que Musk levasse sua tecnologia para a Amazônia.

Não foi uma tarefa fácil colocar a internet via satélite na Amazônia. A viagem até o local é complexa e o local é enorme, o que resultou em uma maior dificuldade na conexão com a tecnologia da Starlink.

E Elon Musk que, mais uma vez, estraga alguma coisa que ele toca.

Nada contra uma tribo indígena em ter conexão com a internet. Porém, é evidente que a influência do homem civilizado em um coletivo muito mais puro e desprovido de códigos morais e éticos distorcidos sempre vai resultar na destruição da cultura e dos hábitos dos povos originários.

Da mesma forma que aconteceu com a chegada do povo europeu nos diferentes continentes do planeta, proliferando doenças diversas e alterando a visão de mundo para aspectos que hoje consideramos como questionáveis.

Até parece que voltamos no tempo com esse experimento.


Compartilhe