É necessário ter muita RAM no smartphone?

Compartilhe

A pergunta, que antes era restrita ao mundo dos computadores e notebooks, agora faz parte do universo dos smartphones, já que vários modelos contam com mais RAM que o computador portátil que muitos de vocês usam para ler os posts desse blog.

É inegável que a internet e a tecnologia móvel evoluiu de forma considerável nos últimos anos, exigindo mais e mais dos smartphones. Porém, já chegamos ao ponto de contar com 8 GB ou 12 GB de RAM nos telefones, e muitos consideram isso como um exagero.

Exagero? Ou um mal necessário?

Vamos tentar descobrir neste post.

Mas antes, vamos para a explicação.

 

 

 

O que é RAM?

 

A RAM (Random Access Memory) é a memória que armazena dados dos aplicativos ativos. A CPU conta com a sua cache para armazenar dados e cálculos, mas precisa da ajuda dessa memória que é bem mais rápida para ler e escrever dados.

A RAM armazena dados em um curto período de tempo, e as informações são apagadas quando desligamos ou reiniciamos o smartphone. Parte dessa memória é reservada para tarefas específicas e, pelo menos na teoria, quanto mais RAM você tem, mais aplicativos em segundo plano o dispositivo pode executar, sem ter uma perda de desempenho.

Dito isso…

 

 

 

Tenha memória suficiente, independente do que você vai fazer

 

 

A tendência de mercado para 2021 é ter mais smartphones top de linha com 8, 12 e até 16 GB de RAM. Isso começou em 2020, onde vários modelos lançados (Galaxy S20 Ultra, Xiaomi Mi 10 Ultra, Lenovo Legion Pro) já chegaram ao mercado com 16 GB de RAM.

Mas essa quantidade de RAM só faz sentido para os usuários avançados ou com demandas muito específicas. Para a grande maioria das pessoas, 8 GB de RAM são mais que suficientes. Mais do que isso é um exagero.

Com 8 GB de RAM, você pode executar sem maiores problemas as tarefas do sistema operacional, executar aplicativos em segundo plano e obter uma fluidez perfeita em qualquer tipo de jogo, desde que a CPU/GPU estejam a altura dessa quantidade de memória.

Vale a pena apostar em um smartphone com mais RAM quando você pretende ficar com esse smartphone por mais de dois anos. Fora isso, dispositivos diferentes com 8 GB e 16 GB de RAM com o mesmo processador podem entregar o mesmo desempenho. E essa “sobra” de memória acaba ficando desperdiçada no conjunto técnico.

 

 

 

Coerência é algo impossível aqui…

 

No final das contas, por mais que possa parecer contraditório o que você vai ler nos próximos três segundos, o conselho aqui é não ficar tão obcecado com essa coisa de ter uma enorme quantidade de RAM no smartphone.

Pode valer mais a pena investir em um telefone com maior capacidade de armazenamento interno, que normalmente tende a ser mais escassa para as necessidades da internet atual (gravar vídeos, registrar fotos, etc).

Aí, você vai me perguntar: “ah, mas e no caso dos PCs e notebooks, onde você passou a vida inteira falando para ter um computador com mais RAM?”.

Diferente dos PCs e dos notebooks, os smartphones não permitem a alteração do hardware interno, o que encarece os telefones. Já os computadores podem ser customizados, o que acaba reduzindo o preço de RAM e armazenamento.

Logo, nos PCs e notebooks, quanto mais RAM e armazenamento, melhor. Nos smartphones, é preciso pensar com racionalidade nos gargalos de hardware que você pode ter a médio e longo prazo.


Compartilhe