Compartilhe

A decisão da Apple em deixar os processadores Intel para adotar chips ARM próprios levantou várias dúvidas em muitos usuários. E a principal delas é: o Windows vai funcionar nos futuros Macs após o Apple Silicon?

Sem deixar espaço para spoilers: a resposta para essa pergunta é um contundente NÃO, e tanto Microsoft como Apple confirmam isso. Nesse post, vamos mostrar melhor a visão de cada uma das empresas sobre o tema.

 

 

 

Como a Microsoft se pronuncia sobre o assunto

 

 

Para começar, a Microsoft só licencia o Windows 10 em ARM para os fabricantes. Logo, por esse motivo, a virtualização do sistema operacional em um MacBook com ARM seria algo bem mais complicado. A gigante de Redmond não permite a instalação da ISO do Windows 10 em ARM de forma oficial e para os usuários finais.

Falando especificamente sobre os novos Macs com ARM, Apple e Microsoft deveriam chegar a um acordo para que o Windows estivesse pré-instalado nos computadores da gigante de Mountain View, algo que, por motivos bem óbvios, é algo impensável. E a Microsoft não vai mudar de política só por causa da Apple.

Por outro lado, a Apple não indicou se o ARM terá suporte à virtualização via Boot Camp (mediante instalação nativa), de modo que o caminho ainda é incerto nesse sentido. Não está confirmado ou desmentido o fim do Boot Camp no macOS com ARM. Tudo leva a pensar que não, mas…

Em 2006, a visão da Apple era diferente. Quando a Intel chegou ao Mac, a possibilidade de rodar o Windows no macOS era uma demanda dos usuários (segundo a própria Apple). Será que alguma coisa mudou de lá para cá?

A resposta é: SIM!

 

 

 

Qual é a posição oficial da Apple sobre o assunto

 

 

Todo mundo que viu o keynote inaugural da WWDC 2020 e constatou a forma em como a Apple anunciou a sua mudança para o ARM já podia imaginar o que iria acontecer: o fim do suporte do macOS ao Windows com a saída da Intel no hardware dos produtos da empresa.

A omissão da Apple sobre o Boot Camp que destaquei um pouco antes nesse post foi esclarecida um pouco depois por Craig Federighi (vice-presidente sênior de engenharia de software da Apple), durante um podcast em vídeo com John Gruber:

 

“Claro, não conseguimos inicializar diretamente uma versão x86 do Windows, que é o que o Boot Camp faz hoje. Não haverá inicialização direta de um sistema operacional alternativo [referindo-se às alternativas do macOS]. A virtualização pura é o caminho.”

 

Craig deixa claro que a Apple tem plena consciência que muitos desenvolvedores usam a virtualização para trabalhar nos seus softwares, e que a mesma com o Apple Silicon seria baseada em uma versão ARM do Linux. mas deixa claro que a inicialização direta de um sistema operacional alternativo no Mac não é a prioridade de empresa nessa nova fase.

Além disso, Craig também mencionou que o Linux já é muito multiplataforma (na arquitetura do processador), e que muitas distribuições vão funcionar muito bem no Apple Silicon. Ou seja, é a Apple apostando direto na virtualização, mas sempre usando o macOS como elemento principal de gerenciamento do seu hardware.

Sobre a utilização exclusiva do macOS de forma nativa, Federighi comentou que a proposta nova é muito eficiente, de modo que a necessidade da inicialização direta não deve ser uma preocupação para os usuários. E com o adeus da arquitetura x86 da Intel, chega ao fim a era onde você podia instalar o Windows de forma nativa nos computadores da Apple, e também chega ao fim a possibilidade em instalar o Linux de forma direta.

Porém, pelo menos por enquanto (e até que a Apple se aprofunde de vez na questão), ainda não dá para dizer que o Windows não figure nos Macs via Boot Camp. Esse é um tema que ainda precisa ser esclarecido.

 

 

 

Via The Verge


Compartilhe