É alto o número de jovens viciados nos smartphones

Compartilhe

Aos poucos, seguem aparecendo estudos que deixam muito claro sobre os malefícios em expor as crianças por longos períodos de tempo às telas de computadores e dispositivos móveis, especialmente no caso dos smartphones, que podem ser utilizados em qualquer lugar.

A revista BMC Psychiatry publicou uma pesquisa que analisou 41 estudos que envolveram um total de 42 mil jovens, revelando dados pouco alentadores. Mais de 23% dos jovens teriam um comportamento relacionado com o vício, mostrando ansiedade por não poder usar o seu smarpthone por um período de tempo, ou sendo incapazes de moderar o tempo que passam diante do dispositivo, causando prejuízos em outras atividades.

 

 

Vício nos smartphones não é o único fator para determinar a depressão

 

 

São níveis de vício que afetam a vida normal da pessoa, gerando a ansiedade pela desconexão e incapacidade de moderar o tempo de uso, além de apresentar o estresse, depressão, falta de sono (também influenciada pela luz azul das telas) e redução do desempenho nos estudos.

O estudo mostra que é preciso compreender que os smartphones chegaram para ficar, assim como a prevalência de seu uso problemático. Não dá para saber se a culpa do vício é do smartphone em si ou dos aplicativos que as pessoas usam. Mas sabemos que existe uma necessidade de consciência pública sobre o uso do dispositivo em crianças e jovens, e os pais devem saber quanto tempo os seus filhos passam diante dos telefones.

Esse tipo de vício pode ter graves consequências para a saúde mental e o desempenho diário, de modo que é preciso ter um olhar mais aprofundado sobre o problema. Por outro lado, algumas conexões casuais entre o uso problemático dos smartphones e a depressão devem ser evitadas, pois o caminho que leva uma coisa a outra não é linear, onde o uso inadequado do telefone não é o motivo principal para gerar a depressão em alguém.

A dependência do smartphone o fato de muitos viverem um mundo dominado pelo imediatismo podem resultar em um pior gerenciamento da frustração quando não se obtém o que se quer rapidamente. Mais estudos colocam em evidência os problemas de vício que muitas pessoas possuem com os seus smartphones, mas é importante evitar cair na desinformação. Ou seja, usar um smartphone não vai te levar à depressão se você tiver um pleno controle da sua vida e sabe usar o dispositivo com moderação.

Moderação e bom senso são armas poderosas nesse caso (e em outros casos também).

 

Via BMC Psychiatry


Compartilhe