Um estudo das universidades de Stanford e Brown determinou que Donald Trump venceu as eleições presidenciais dos EUA graças à maioria dos eleitores “desconectados” do país.

Trump teve desempenho pior que os candidatos republicanos anteriores entre os usuários de internet e pessoas que receberam notícias da campanha online. Ele superou os seus predecessores entre os grupos demográficos com menos probabilidades de acessar a web.

Ou seja, Mitt Romney e John McCain receberam mais apoio dos internautas que Trump.

O documento mostra que, em estudos anteriores prévios, a polarização do país foi mais intensa entre os norte-americanos mais velhos, que também passam menos tempo online. Para eles, os canais de notícias a cabo tem peso maior que as divisões partidárias. Além disso, os eleitores de Trump estão menos propensos a usar o Twitter ou o Reddit do que os eleitores da democrata Hillary Clinton.

A internet só afetou as eleições norte-americanas ao mudar o voto de partido das pessoas ativas na rede. Os eleitores de Trump contam majoritariamente os pontos de vista da rede de TV Fox News.

Em resumo: a internet não tem responsabilidade sobre a eleição de Donald Trump. É mais provável que a responsabilidade recaia sobre a televisão, que ainda é a fonte mais importante de informação política. A crescente polarização pode ser o resultado de mudanças econômicas estruturais, como o aumento da desigualdade produzido nas últimas décadas.

 

+info