dogecoin

Quando a Dogecoin foi lançada em 2013, ninguém levou a moeda virtual a sério. E com razão: o projeto era uma brincadeira que tinha como logo o meme Doge. Porém, a popularidade começou a crescer tal e qual um meme viral, e recentemente o seu valor total superou os US$ 2 bilhões.

A Dogecoin foi criada por Billy Markus (ex-funcionário da IBM) e Jackson Palmer (ex-departamento de marketing da Adobe Systems da Austrália), e nasceu quase em tom de paródia do bitcoin, com um toque de humor viral. Eles pegaram o código do Litecoin, registraram o domínio, e deixou a coisa toda rolar.

Quando lançaram a ideia de que começou a expandir nos fóruns de internet e redes sociais, o preço nem era algo tão importante. A imagem bem humorada criada ajudou no começo, e o Dogecoin alcançou os US$ 90 milhões, para depois cair abruptamente.

Os criadores acharam que ali era o fim. Mas o auge das criptomoedas em 2017 tirou o Dogecoin da tumba, e sua capitalização disparou.

No final de 2017, o valor de todos os Dogecoins em circulação era de quase US$ 1 bilhão. E agora, no último sábado (6), sua capitalização esbarrou nos US$ 2 bilhões. Hoje, a moeda está em US$ 1.7 bilhão, e cada unidade custa US$ 0,01, de acordo com o investing.com.

A pergunta que fica é se o Dogecoin tem ou não os seus dias contatos. A maioria das pessoas migraram para plataformas como Ethereum, Dash ou Monero, deixando as demais moedas pouco rentáveis.

 

 

 

Via Ars Tecnhica