Do Samsung Galaxy S20 ao Samsung Galaxy S21: o que mudou

Compartilhe

O Samsung Galaxy S21 finalmente é uma realidade, e agora é a hora de realizar aquela famigerada comparação deste modelo com o Galaxy S20, a geração anterior. O novo modelo chegou um mês antes do previsto, e eu tenho certeza que muita gente está querendo saber se as diferenças entre os dois modelos são tão gritantes assim.

Muitos querem entender o que mudou em um ano para descobrir se vale a pena investir um pouco mais no novo modelo, ou se pode economizar algum dinheiro comprando o smartphone do ano passado.

 

 

 

Do Samsung Galaxy S20 ao Samsung Galaxy S21: o que mudou

 

 

Aqui, as mudanças são mais discretas.

A tela é a mesma, mas o Galaxy S21 tem uma resolução menor (FullHD+), algo que se repete no modelo Plus. Já o Gorilla Glass avançou até o modelo Victus.

No processador, a atualização é óbvia: sai o Exynos 990 do ano passado para o novo Exynos 2100, que promete ser mais potente, gerenciar melhor o consumo de bateria e suportar gráficos mais avançados. Na memória, nada mudou, exceto pelo modelo com 12 GB de RAM que foi descontinuado. Ah, sim, estes modelos e toda a família Galaxy S21 não contam com o slot para cartões microSD.

Não há mudanças nos aspectos fotográficos, mas o trio traseiro de sensores e a câmera frontal de 10 MP estão mantidas, tal e como na geração anterior (inclusive nas especificações). O que mudou foi o software fotográfico, com mais funções automáticas e extração de fotos nos vídeos em 8K durante a gravação dos vídeos.

Por fim, a bateria de 4.000 mAh com carga rápida de 25W é a mesma do modelo do ano passado. Na parte de conectividade, o Galaxy S21 mantém as mesmas características, com exceção do WiFi, que agora é WiFi 6e, que é bem mais veloz.

Todas as mudanças deixam o Galaxy S21 um pouco mais largo e 8 gramas mais pesado. E ele não conta com carregador ou fones de ouvido no kit de venda; só conta com o cabo USB-C para USB-C.

 

 

 

Qual você deve comprar?

 

As mudanças são muito discretas e pouco relevantes na experiência de uso, de modo que não é muito errado dizer que, apesar do processador Exynos 2100 ser muito promissor, pode valer mais a pena o Samsung Galaxy S20, pois a relação custo-benefício tende a ser melhor.

O Galaxy S21 ainda não teve o seu preço revelado para o mercado brasileiro no momento em que este post foi produzido (isso vai acontecer em 9 de fevereiro), mas não dá para ser muito otimista sobre esse tema. Tudo indica que ele deve custar mais caro que o Galaxy S20. Só não sabemos o quanto.

Este post pode ser atualizado no futuro, quando o preço do Galaxy S21 foi anunciado por aqui.


Compartilhe