Compartilhe

Recentemente, publicamos aqui no blog um infográfico com uma lista dos smartphones que mais emitem radiação. Embora ainda não existam estudos conclusivos sobre os efeitos da radiação dos telefones nas pessoas, qualquer pessoa tem o direito a tomar as suas precauções.

Para quem está preocupado com isso, não precisa jogar o seu smartphone no lixo. Na verdade, é bem fácil evitar ou reduzir os supostos efeitos de sua radiação. E esse post apresenta essas dicas que podem ser adotadas por qualquer usuário de forma imediata.

 

 

Use fones de ouvido

Embora ninguém saiba descrever quais são os riscos em conversar muito tempo no smartphone (50 minutos de uso afetariam a atividade cerebral), é possível evitar a radiação com uma forma simples e eficiente: utilizando fones de ouvido com fio. Dessa forma, a sua cabeça não entra em contato direto com o dispositivo.

Você até pode usar fones Bluetooth, mas há estudos que indicam que os mesmos não são totalmente seguros, pois na prática tais acessórios também emitem radiação RF.

 

 

Não guarde o smartphone no seu bolso

Alguns estudos e experiências encontraram uma conexão entre a radiação do smartphone e a diminuição da qualidade do esperma (eu disse QUALIDADE, e não QUANTIDADE). Na prática, nem é preciso um cientista dizer que manter o smartphone no bolso pode contribuir para acelerar o processo de infertilidade.

Manter o smartphone na mão, em uma bolsa ou na mesa enquanto ele não estiver em uso pode ser uma boa solução.

 

 

Evite chamadas quando o sinal de rede está fraco

A radiação do smartphone pode variar de acordo com a situação. Se a ligação à rede móvel estiver fraca, o smartphone vai gastar mais energia para tentar manter a chamada e, na prática, emite mais radiação eletromagnética.

Por isso, emite o uso do dispositivo em locais com pouca recepção de sinal, como elevadores, metrô, estacionamentos no subsolo e outros locais onde a recepção de sinal não é tão boa.


Compartilhe