Compartilhe

O fim do suporte oficial para o Windows 7 está definido para o dia 14 de janeiro de 2020, colocando um fim ao novo Windows XP. Sabendo que muitas empresas ainda contam com o Windows 7 e que nem todas vão conseguir completar as migrações em tempo, a Microsoft apresentou vários programas para ampliar o suporte estendido além dessa data, buscando mitigar a situação.

Um deles é o FastTrack Center Benefit for Windows 10, que está disponível para empresas que compram pelo menos 150 licenças do Office 365 ProPlus ou do Microsoft 365. Além disso, a Microsoft está oferecendo atualizações de segurança do Windows 7 sem custo adicional durante um ano para entidades empresariais e educacionais que fecham acordos de parceria com a empresa. Está disponível para clientes com acordo de empresas (EA) ou com uma assinatura de acordo com empresas (EAS) com assinaturas ativas com o Windows 10 E5, Microsoft 365 E5 e Microsoft 376 ES Security.

Por fim (e este é o principal motivo para esse post existir), outro programa de suporte estendido da Microsoft é o Extended Security Updates (ESU), que contempla assistência técnica personalizada com atualizações para Windows 7 durante os três anos seguintes ao fim do suporte oficial.

A ESU do Windows 7 é um serviço pago oferecido pela Microsoft apenas para empresas com acordos de licença por volume e pequenas e médias empresas que fazem o registro prévio para obter tais updates.

Ou seja, o usuário comum do Windows 7 Home não tem acesso a essas atualizações. As ESUs custam entre US$ 25 e US$ 250 por dispositivo, dependendo da versão e da quantidade de anos que ela vai durar, com exceção do primeiro ano do suporte estendido, ela custa o dobro no segundo ano e quatro vezes mais durante o terceiro ano.

Porém, como existe jeito para tudo nessa vida (com exceção da morte), alguém conseguiu obter as atualizações pagas (que continuam por mais três anos para empresas e casos bem específicos) de graça e para qualquer sistema.

 

 

BypassESU, o software que salta a restrição

 

 

A Microsoft lançou em novembro de 2019 uma atualização de testes para o Windows 7 que permite aos administradores de sistemas verificarem a compatibilidade com o novo processo de atualizações de segurança estendidas.

Ao instalar a atualização KB4528069, é preciso inserir a licença ESU para autorizar as atualizações futuras. Porém, uma ferramenta já é capaz de saltar a licença ESU para que qualquer versão do Windows 7 possa receber esses updates.

O pessoal do fórum My Digital Life criou a ferramenta BypassESU, que realiza esse salto de verificação da ESU, e liberando a instalação da atualização de testes que, em teoria, permite instalar as demais atualizações pagas no futuro.

Tecnicamente, o que essa ferramenta faz é saltar a verificação da ESU, permitindo que qualquer dispositivo com Windows 7 receba as atualizações pagas, em um processo que requer três passos:

1) Ter instaladas as atualizações oficiais KB4490628 -> KB4474419 -> e KB4523206.
2) Instalar a ferramenta BypassESU.
3) Instalar o verificador oficial ESU KB4528069.

A Microsoft pode tomar medidas para bloquear os efeitos da nova ferramenta, mas também devemos considerar que, ao longo da história recente do Windows, a empresa nunca conseguiu (ou nunca quis) barrar os crackers de licença para o seu sistema operacional.

Não testamos o software, mas há quem diga que ele funciona. Se você quer testar o BypassESU por sua conta e risco, clique nesse link para obter mais informações sobre o mesmo.

 

Via My Digital Life


Compartilhe