Compartilhe

Depois da revolução da “carne de mentira”, as alternativas aos produtos de origem animal continuam aparecendo. Hoje, apresentamos o “ovo sem galinha”, ou um ovo elaborado com ingredientes vegetais.

Por enquanto, esta é apenas uma proposta sem fins comerciais, apresentado pela designer Annie Larkins, que apresentou a proposta durante a Semana de Design Holandês em Eindhoven. Esta não é apenas uma alternativa alimentícia, mas também permite modificar as suas formas e possibilidades.

 

 

Por que não reinventar o ovo?

 

 

A ideia foi usar o design para explorar e recriar novas formas para melhorar um ovo, sem depender da capacidade biológica da galinha e usando a tecnologia disponível nesse momento.

O resultado é um alimento que pode ser alargado ou apresentado em forma de cubo, com uma clara e uma gema coberta por uma casca. Esse “ovo sem galinha” mantém as características e sabor similares ao do ovo de verdade, e com a vantagem de não precisar de uma galinha para obter o alimento.

 

 

O experimento de Larkins é baseado em uma mistura que usa o sal de Kala Namak, que nasce de uma rocha cozida em um forno do sul da Ásia, que serve para imitar o sabor do ovo. Assim como um alginato, um ácido presente nas paredes celulares da alga marinha, criando uma forma parecida com uma gema.

Essa combinação é revestida por uma membrana que mantém tudo úmido. A casca foi o mais difícil de reproduzir, já que é uma cera derretida a base de plantas, onde se submerge o “ovo” várias vezes para criar várias capas dessa cera e, dessa forma, contar com uma textura parecida ao ovo clássico.

 

 

Como já foi dito, a ideia não era criar um produto comercial, mas sim iniciar um debate e oferecer alternativas reais para o crescente problema de falta de alimento e o aumento na taxa de população. Uma solução de produção de alimento pode ajudar (e muito) em uma eventual crise.

 

Via Dezeen


Compartilhe