O Denuvo se transformou no grande inimigo dos jogadores de PC. Algo compreensível, pois se demonstrou ser uma ferramenta inútil e com efeitos negativos nos jogos, além de implicar em um custo adicional para as desenvolvedoras de jogos.

Nesse post, vamos apresentar o que é o Denuvo para a maioria dos leitores que ainda não conhecem do que estamos falando, além de responder as principais questões sobre o tema.

 

 

Do começo: o que é o Denuvo?

 

 

É uma ferramenta desenvolvida para evitar a pirataria nos jogos. Ele atua como medida de proteção para evitar que os gamers acessem a títulos pirateados. Não é um software adicional; ele é integrado pelos desenvolvedores diretamente no código do jogo, como parte dele. Isso é feito para tornar mais complicado o desbloqueio por engenharia reversa e depuração de software. Não é perfeito, mas nesse momento é o sistema mais eficiente para evitar a pirataria, apesar das versões mais moderas do Denuvo já serem burláveis.

 

 

Por que o Denuvo irrita os jogadores?

 

Porque consome mais recursos de hardware que afetam o desempenho do equipamento, realizando múltiplas operações ao mesmo tempo enquanto o jogo é executado. Isso resulta em menor desempenho bruto, especialmente em FPS, tempos de carga mais elevados, maior consumo de CPU, Latências elevadas e outros efeitos colaterais que acabam com a paz de qualquer gamer.

 

 

Denuvo e publicadoras: uma questão de receitas

 

 

Não é difícil explicar porque o Denuvo segue em uso pelos desenvolvedores. O objetivo é proteger os jogos durante a sua primeira fase de lançamento, que é quando acontece o pico de vendas. Ou seja, é uma proteção eficiente a curto prazo, pois é bem sabido que ele será burlado três ou quatro meses depois. Porém, em alguns casos, o Denuvo não protege nem por um dia completo de lançamento, o que deixa a sua utilidade em uma dúvida bem razoável.

O sistema pode complicar a pirataria, mas não é infalível. Sem falar que prejudica o desempenho da maioria dos jogadores, afetando negativamente a experiência de uso na maioria dos casos.

 

 

Todo mundo usa o Denuvo?

 

 

Não, felizmente. Muitos que utilizaram decidiram eliminá-lo quando ele deixou de ser eficiente. Os jogos que foram pirateados tiveram em comparativo o impacto negativo no desempenho ilustrado de forma clara. Podemos até discutir se o elevado consumo de recursos do Denovo é inerente ao software ou se é uma má integração com o código dos jogos por parte dos desenvolvedores, mas é fato que esse software é o culpado por esse prejuízo.

E alguns casos mostram que não ter o Denuvo também pode resultar em vendas fantásticas, como The Witcher 3, que vendeu como água porque o jogo em si é ótimo. As plataformas de distribuição de jogos em formato digital, como a Good Old Games, também oferecem conteúdos sem qualquer sistema de proteção, e é igualmente um sucesso.

 

 

O Denuvo é realmente necessário?

 

O bom senso diz que não. Só traz prejuízo de desempenho e irrita os jogadores, além de ser um gasto desnecessário em algo que não é eficiente para o seu objetivo prático. Muito melhor seria oferecer jogos de qualidade mais baratos, pois essa é a melhor estratégia para combater a pirataria. E vários exemplos recentes mostram isso claramente.