Compartilhe

Distribuições Linux focadas no usuário final há muitas, mas nem todas entregam isso. Uma das que melhor alcançam esse objetivo é a Deepin, e sua trajetória recente é uma prova disso.

O problema do Deepin até agora é que era uma distribuição atraente no visual, mas com vários obstáculos no seu funcionamento. Porém, a partir do Deepin 15, tudo mudou. A base, a filosofia do projeto, o desenvolvimento do software com licenças livres, e uma instalação de aplicativos privados mais simplificada, para oferecer uma melhor experiência.

 

 

As principais consequências (positivas) das mudanças

Nos últimos dois anos, a sua aparência, aplicativos e funções de escritório foram melhoradas, com um novo design, ferramentas de manutenção melhores, desempenho e otimização de consumo melhorados, codificação de disco, gestão de repositórios, entre outros.

O Deepin 15.10 traz outra novidade de destaque: o sistema agora se baseia no Debian estável, por isso é recomendada a sua instalação nesse momento. Essa mudança tem como objetivo aumentar a estabilidade do sistema. A dúvida está em como isso vai funcionar com os aplicativos que não dependem do Deepin, já que o Debian só oferece atualizações de segurança.

Outra novidade do Deepin 15.10 é a adoção do DDE-KWin, com novo gerenciador de janelas. Não é de se estranhar que esse gerenciador seja um fork do KWin do KDE, uma vez que o desktop é criado com Qt. De qualquer forma, é outra melhoria em relação ao desempenho do sistema.

Por fim, ele conta com três novas funções: no estilo do macOS, recebe a organização automática dos arquivos no seu escritório em pastas, de acordo com o tipo (imagens, áudio, vídeo, etc); o modo de apresentação para a mudança automática do papel de parede; e mais opções para configurar os efeitos de som, além de múltiplas correções e outros retoques.

O download está disponível em várias fontes alternativas. Mas… o que virá a seguir? Quem sabe… mas veremos uma nova versão a cada três meses. E vamos ficar de olho no Deepin, que se candidata a ser uma das versões do Linux mais interessantes.

 

 

 

Via Deepin


Compartilhe