Compartilhe

Muita gente está empolgada e decidida a investir em cripomoedas, mesmo com as incertezas e riscos implícitos. E nem todos estão cientes dos perigos envolvidos ao apostar nesse formato de monetização.

Muita gente vê essa como uma ótima opção para obter lucros de forma fácil e rápida. Porém, nem tudo o que reluz é ouro, e antes de investir nas moedas virtuais, é fundamental estar ciente dos riscos que este mercado possui.

 

 

 

Informações incompletas

 

As dúvidas sobre as criptomoedas são diversas, e isso é algo normal para um mercado que está em desenvolvimento. Porém, é fundamental ficar atento aos argumentos dos mais diversos para evitar cair em golpes. Mesmo porque muitas das fontes que publicam informações sobre esse tema buscam benefícios próprios.

Procure não acreditar em tudo o que os fóruns especializados em criptomoedas costumam dizer, pois muitos se valem de informações incompletas e distorcidas da realidade para passar informações. Pesquise, investigue, e não acredite em tudo que seja tão bonito que convence você a não querer ver mais nada. Use o bom senso e considere todos os riscos pertinentes antes de tomar uma decisão tão importante.

 

 

 

Riscos de roubo

 

 

Criptomoedas são ativos intangíveis, e muita gente entende que, por causa disso, não podem ser roubadas. ERRADO: qualquer moeda virtual pode ser roubada via ataques informáticos, especialmente em plataformas que guardam e trocam essas moedas virtuais. Tais plataformas podem ser hackeadas, e sua conta pode chegar a zero sem você saber.

Sem uma regulamentação clara sobre o assunto, as plataformas não contam com fundo de garantia ou obrigações contratuais sobre seguros ou outros dispositivos do tipo. O anonimato sobre as cripomoedas é outro problema, pois não existe comprovação de propriedade.

Se você perde acesso à sua carteira digital, você vai ficar sem as moedas, e alguns sites oferecem geradores de QR codes de bitcoins, similar aos geradores de cartão de crédito online, com a diferença que os geradores de criptomoedas já demonstraram que tais geradores de códigos são, em sua maioria, fraudulentos.

Cuidado com eles.

 

 

 

Alta flutuação

 

A alta volatilidade dos ativos é outro problema a ser observado. Nos últimos 12 meses, o bitcoin teve uma flutuação de valor de 80%, e isso torna esse investimento como algo de risco. Você até pode se dar bem com isso, especialmente no âmbito de trading. Mas para isso acontecer, você precisa contar com ferramentas de investimento que permitem medir as mudanças do mercado e agilizar os movimentos de compra e venda de moedas. E é importante ter a experiência suficiente para saber como se beneficiar de tal flutuação.

 

 

 

Mudanças nas leis sobre as moedas virtuais

 

Mesmo sendo considerado por muitos o “dinheiro do futuro”, ainda falta uma regulamentação mais clara sobre o tema. Há movimentos por parte dos políticos para isso, mas tudo fica no ar porque nem eles, nem os especialistas, entram em um acordo sobre o tema. Essa bolha legal pode estourar a qualquer momento, já que muitos dos envolvidos encaram as moedas virtuais como um grito de resistência e crítica contra o sistema financeiro estabelecido até então.

Enquanto isso, na China, está proibida qualquer transação via criptodivisas porque seu governo estabeleceu que as mesmas são encaradas como fraudulentas. Nesse momento, as moedas virtuais não contam com o respaldo legal de nenhum governo, e é o mercado que regula o sistema baseado na oferta e demanda de usuários.

 

 

 

Negócio de alto risco

 

 

Diante dos fatos apresentados, é compreensível porque muitos especialistas consideram o investimento nas criptomoedas em um negócio de alto risco, Ainda é o mercado que manda, e em alguns contextos esse formato é muito benéfico.

Mas antes de você tomar uma decisão entre investir ou não nas criptomoedas, conheça os pontos positivos e negativos que foram abordados nesse post. Ainda não sabemos como serão as novas leis e o que elas representam para o mercado. Novas leis podem aparecer a qualquer momento, com o objetivo de garantir a confiabilidade e controle de risco de roubo por parte dos ciberdelinquentes.


Compartilhe