Durante a DEF CON 2018, maior convenção internacional de hackers do planeta que aconteceu no último final de semana em Las Vegas (EUA), pelo menos 50 crianças participaram do evento. Delas, 35 conseguiram violar as medidas de segurança das páginas eleitorais norte-americanas.

Jovens com menos de 17 anos de idade conseguiram acessar as páginas consideradas essenciais para o governo dos Estados Unidos, modificando os resultados das eleições. Porém, o feito mais bizarro da DEF CON 2018 foi uma criança de apenas 11 anos de idade conseguir hackear a página eleitoral do estado da Flórida em apenas 10 minutos, movendo milhões de votos registrados e absorvendo votos de vários candidatos para outorgá-los a um candidato em particular.

 

 

Além de mudar os votos com rapidez, o grupo de hackers menores de idade encontraram nos sistemas de votação o certificado SSL, ou uma codificação que cria “conexões seguras”, mas que ficaram vulneráveis nos últimos anos.

Depois da migração de votos, os hackers apagaram as memórias da interface eleitoral, substituindo completamente a informação da plataforma de votação, anulando votos reais pela injeção de votantes falsos.

 

 

O Departamento de Estado dos EUA respondeu rapidamente ao feito, e em comunicado, parabenizou os participantes da DEF CON pelas suas habilidades, mas garantem que a segurança das páginas reais não podem ser facilmente invadidas. Garantiu que o evento utilizou um ambiente que não imita de forma correta os sistemas eleitorais, assim como suas redes ou medidas de segurança física.

Não sei. Diante de tudo o que vimos sobre o envolvimento da Rússia nas eleições presidenciais de 2016, muitos se preocupam com a validade das próximas eleições nos EUA. E uma criança de 11 anos de idade ter o poder de, teoricamente, poder decidir quem será o próximo presidente do país não acalma ninguém.

 

+info