Recentemente, foi revelado o problema do MacBook Pro 2018 com Core i9, que sofre de superaquecimento e queda de desempenho quando exigido ao máximo. O desempenho era tão ruim, que ficava abaixo do MacBook Pro com Core i7.

A Apple reconheceu o problema, e garantiu que a sua última atualização de firmware resolveria o problema, atuando sobre o sistema de administração térmica do MacBook Pro 2018. A correção chegou dias depois, e os primeiros testes para verificar se o problema foi realmente resolvido começam a aparecer.

O especialista David Lee, que foi quem primeiro alertou sobre o problema da queda de desempenho, refez os testes, e constatou uma considerável melhora, mas sem entregar todo o potencial prometido pelo Core i9.

 

 

Agora, o MacBook Pro 2018 com Core i9 tem um desempenho muito melhor que o modelo do ano passado com processador Core i7, algo que não acontecia antes da correção. Lembrando que Lee chegou a colocar o notebook no congelador para resfriar antes da correção ser aplicada.

Mesmo assim, o Core i9 do MacBook Pro 2018 segue não entregando o máximo do seu potencial, diferente do que acontece com notebooks com Windows 10 (ok, no caso são notebooks gaming, com sistemas de refrigeração mais completos… mesmo assim…).

De qualquer forma, os testes mostram que chassis mais finos e estilizados podem limitar de forma notável a eficiência do sistema de refrigeração e, por consequência disso, limitar também o desempenho de um processador tão potente como é o Core i9.

 

 

A combinação de baixa espessura e peso, estilização e baixo ruído do MacBook Pro 2018 não permite que sua CPU entregue todo o seu potencial. Ou seja, é bem razoável pensar que não podemos ter tudo nesse mundo.

Vamos aguardar por mais testes e resultados.