Compro a Mi Band 6 se tenho a Mi Band 5?

Compartilhe

A Xiaomi apresentou ao mundo a Mi Band 6 e, de forma quase imediata, muitos proprietários da Mi Band 5 começaram a se perguntar se a troca para a nova pulseira inteligente realmente vale a pena, ou se é melhor economizar algum dinheiro para investir em alguma outra coisa.

Pois bem, ainda bem que eu sou seu amigo e um cara legal, e neste post, vou ajudar você a eliminar essa dúvida da sua cabeça.

Ou aumentar os questionamentos sobre uma possível troca. Nunca se sabe.

 

 

 

Mi Band 6: vale a pena (se tenho a Mi Band 5)?

 

 

Existe uma grande diferença de tamanho nas telas dos dois dispositivos, onde a Mi Band 6 consegue entregar um display 0.5 polegadas maior que o modelo anterior (1.56 polegadas). E essa é uma diferença considerável para o dia a dia.

A tela da Mi Band 6 também é melhor na nitidez e na riqueza das cores, entregando assim uma experiência de uso melhor neste aspecto. Além disso, a tela maior também oferece uma melhor usabilidade para as atividades diárias.

Porém, um dos fatores mais importantes para a decisão de qualquer usuário entre uma ou outra pulseira é o preço. E, logo de largada, é óbvio que a Mi Band 6 é mais cara que a Mi Band 5. Porém, se você for uma pessoa paciente, vai poder encontrar a nova smartband pelo mesmo preço que a atual pulseira inteligente, o que vai resultar em um ótimo negócio para o seu bolso.

Nas monitorizações de atividades, a grande novidade da Mi Band 6 é o sensor para controlar a oxigenação no sangue, que é uma aposta do mercado de wearables. Fora isso, o modelo atual é muito similar ao anterior neste aspecto. Se você pode viver sem saber o quanto de oxigênio tem no seu sangue, quem sabe vale mais a pena economizar algum dinheiro.

As duas pulseiras contam com uma bateria de 120 mAh, mas a Mi Band 6 tende a gerenciar melhor a energia consumida, o que pode resultar em uma autonomia melhor. Porém, espere por relatos de outros usuários e testes práticos que comprovam tal informação.

Para os esportistas, a Mi Band 6 é melhor, pois simplesmente triplicou as opções de treinamento disponíveis em suas configurações (30, contra 11 da geração anterior). E a conectividade é praticamente a mesma nos dois modelos, com o mesmo pesar que o NFC não deve funcionar no Brasil de forma plena.

 

 

 

Conclusão

Agora que você tem as informações mais pertinentes sobre as principais diferenças entre a Mi Band 6 e a Mi Band 5, eu tenho que escrever a clássica frase que sela a caixa de dúvidas que passam pela sua cabeça: a decisão é sua.

Se você tem uma Mi Band 5 neste momento, o principal argumento para mudar para a Mi Band 6 seria a tela do novo modelo. Mas se você está feliz com o seu dispositivo atual, não sei se a mudança vale a pena nesse momento. Acho que vale a pena esperar o preço da nova pulseira cair um pouco.

Agora, se você não tem uma pulseira inteligente para chamar de sua, pode comprar a Mi Band 6 sem medo de ser feliz. Simples assim.

 

 

Via Wareable


Compartilhe