A Xiaomi tem uma base de fãs no Brasil que é enorme (alguns deles se comportando de forma doentia). Eu mesmo gosto dos produtos da empresa, e tenho alguns deles no meu uso diário (nesse momento, estou economizando para comprar a bicicleta elétrica da empresa, a Xioami Qicycle). São produtos incríveis, de alta qualidade e excelente preço. Por outro lado, comprar um gadget da Xiaomi é um pesadelo sem precedentes.

O processo pode virar um inferno na Terra se você não souber o que está fazendo. Especialmente no caso dos smartphones e, mais especificamente, no tema ROMs. Para os mais leigos, é fundamental saber que existem telefones da Xiaomi com ROMs globais e ROMs chinesas. E é preciso explicar as diferenças entre as duas para poupar você do estresse ou de um infarto no processo.

 

 

ROM global vs ROM chinesa

 

A principal diferença aqui (e que deve ser levado muito em consideração antes de comprar um smartphone da Xiaomi) é que as ROMs globais são desenvolvidas para o resto do mundo, enquanto que as ROMs chinesas são pensadas para funcionar exclusivamente na China.

As ROMs chinesas não contam com os apps do Google, nem com a Play Store, já que os serviços da empresa de Mountain View são vetados na China. Já as ROMs globais contam com os apps do Google e menos bloatwares (que estão mais presentes na ROM chinesa justamente pela ausência dos serviços do Google).

Mudar de ROM em um smartphone é algo possível, mas é um processo tedioso. De qualquer forma, pode ser a solução para quem comprou um smartphone da Xiaomi com ROM chinesa por engano. Instalar a Play Store no dispositivo não resolve o problema, já que a ROM chinesa em si é mais problemática que a global.

A troca de ROM exige uma curva de aprendizado. É preciso desbloquear o bootloader do dispositivo antes de instalar a ROM global, e essa parte do processo é algo bem chato: só pode ser feito em computadores Windows, esperar 72 horas para desbloquear a bootloader e instalar a ROM tal e como muitos de nós fizemos nos primeiros anos do Android. Porém, muita gente não sabe fazer isso, e isso significa inferno na Terra para muita gente.

 

 

O que fazer antes de comprar um smartphone da Xiaomi?

 

Acima de qualquer coisa, certifique-se que está com um dispositivo com ROM global no seu fornecedor em loja física e, principalmente, nas compras online. Ou já começa a comprar remédios calmantes. Você vai precisar.

E esse é um problema que só a Xiaomi oferece. Os seus concorrentes diretos não apresentam isso. Passou da hora da empresa resolver isso. 72 horas com um smartphone na gaveta para trocar uma ROM é pedir demais da paciência de qualquer usuário.