Início » Software » Como vai funcionar a reinstalação do Windows 10 a partir da nuvem

Como vai funcionar a reinstalação do Windows 10 a partir da nuvem

Compartilhe

A reinstalação do Windows 10 a partir da nuvem será uma nova opção de suporte para recuperar equipamentos danificados ou restabelecer os sistemas operacionais a uma cópia limpa, sem a necessidade de utilizar mídias físicas, imagens do instalador ou partições de recuperação locais.

O novo recurso foi confirmado por Dona Sarkar, chefe do programa Windows Insider, e estará disponível nas próximas compilações de testes do sistema, e será implementado na versão estável Windows 10 19H1, que tem lançamento previsto para a próxima primavera.

 

 

Como a reinstalação do Windows 10 na nuvem vai funcionar?

 

Apesar de muitos pensarem que esta é uma novidade no Windows, ela segue os passos da Apple que tem essa solução integrada diante das falhas de sistema, e desde 2016 o sistema da Microsoft já conta com recurso similar. Não dá para saber se a nova função vai usar o mesmo design da já existente, mas já podemos ver uma primeira aproximação do conceito.

Nesse momento, as funções de recuperação do Windows 10 passam pelo restabelecimento do PC utilizando uma imagem salva na unidade de armazenamento do equipamento, o que permite conservar os arquivos pessoais do mesmo ou eliminá-los e reinstalar o sistema. Outra opção é utilizar uma mídia de instalação (DVD ou pendrive), permitindo a restauração do sistema ou a instalação de uma cópia do zero.

 

 

A reinstalação do Windows 10 a partir da nuvem seria uma terceira via, focada nas situações onde não temos acesso à imagem salva no local ou não contamos com mídias de instalação. O recurso faz o download da mesma compilação que você pode obter manualmente a partir do site de suporte da Microsoft, sendo esta a última versão estável do sistema operacional.

 

 

Tal e como está planejado até agora, a opção Cloud funciona de dentro do Windows, não oferece personalização e (obviamente) precisa de forma obrigatória de uma conexão de internet ativa (melhor por cabo Ethernet do que via WiFi).

Porém, esta pode ser uma opção interessante diante de uma falha grave que deixa o equipamento inacessível. Algo nada incomum no Windows, quando o sistema operacional recebe uma atualização problemática enviada pela própria Microsoft, ou quando o equipamento é infectado por um vírus, ou quando uma instalação de drivers ou de algum aplicativo não funciona corretamente e, em determinadas ocasiões, desestabiliza o sistema operacional ou que simplesmente não permite a sua inicialização.

Os usuários avançados com certeza vão utilizar uma mídia externa de recuperação que oferece maior flexibilidade e possibilidades, mas qualquer método que favoreça a recuperação do Windows é mais que bem vindo.


Compartilhe