Compartilhe

A carga rápida de bateria diminui o tempo que o smartphone fica na tomada, mas também reduz a vida útil da bateria, pois seus componentes passam por um estresse maior. Mas é possível remediar isso com alguns truques simples.

Aproveitar a carga rápida dos smartphones atuais é uma ótima ideia para quem não quer perder tempo na vida. Porém, a bateria sofre de forma inevitável com o procedimento. Você pode não perceber isso, mas seus efeitos se tornam evidentes a longo prazo.

Nesse post, você tem algumas dicas para diminuir tal impacto da recarga rápida de bateria.

 

 

 

Não vai usar o telefone? Use a recarga lenta

 

 

O aumento de potência na recarga rápida se materializa em uma drástica redução no tempo de recarga, e essa é uma vantagem notável que pode salvar a vida daqueles que não podem ficar presos a um carregador, já que são horas de uso com poucos minutos de recarga.

Porém, está cientificamente comprovado que a recarga rápida acaba degradando a bateria do smartphone mais rápido. Algo lógico, já que uma voltagem e amperagem maior durante o processo de recarga resulta em maior estresse aos componentes internos de bateria, o que reduz a capacidade máxima de recarga do componente.

Logo, a alta velocidade de recarga não faz sentido se você não vai utilizar o smartphone nas próximas horas (enquanto trabalha, enquanto dorme, etc). Limitar a carga rápida ajuda a evitar o desgaste de bateria, e existem várias formas de realizar tal procedimento:

1) Conecte o smartphone à porta USB do computador: ideal para quem trabalha várias horas na frente do PC ou notebook, garantindo assim uma recarga média de 2.5W. É possível manter a USB ativa se você desliga o computador.

2) Limite a recarga rápida nos ajustes do smartphone: algumas marcas permitem isso; basta você acessar os ajustes do smartphone e desativar o recurso quando você não deseja utilizar.

3) Utilize um carregador que não seja rápido: qualquer carregador comum envia a carga mínima para bateria, normalmente na casa dos 5W. Porém, use sempre um carregador de boa qualidade.

4) Mude o cabo USB: de um modo geral, se você trocar o cabo USB original do smartphone por outro compatível mas com um limitador de energia, a carga será mais lenta, normalmente nos 5W. Porém, também é preciso utilizar um cabo USB de qualidade.

5) Use a recarga sem fio se for possível: a carga Qi envia um menor fluxo de volts e amperes (normalmente entre 5-10W, mas pode alcançar os 15W), o que resulta em uma recarga sempre mais lenta que um carregador rápido. Isso aumenta a vida útil da bateria, mesmo que o smartphone venha a sofrer com um aumento de temperatura.

 

 

 

Use com inteligência

 

 

A recarga rápida não é ruim, e nós precisamos dela. Porém, com baterias cada vez maiores, é mais fácil notar em dois ou três anos de uso o desgaste da mesma, o que é normal para um smartphone. Logo, é preciso usar o recurso com inteligência no dia a dia.

Ou seja, usar a recarga rápida nem sempre é necessário, principalmente quando você não vai usar o smartphone nas próximas horas. Nessas horas, vale a pena a recarga mais lenta. É uma pequena mudança que vai prolongar a vida útil do componente e, por tabela, do seu smartphone.


Compartilhe