Jan Koum, imigrante ucraniano radicado nos Estados Unidos, comemorava o seu aniversário em 24 de fevereiro de 2009. Quando terminou os seus exercícios, viu que perdeu uma grande quantidade de chamadas, já que ele não podia utilizar o telefone no ginásio.

Programador de profissão, Koum teve a ideia de criar uma agenda de contatos com ‘status’ ao lado de cada nome, de modo que os seus amigos poderiam indicar se eles estavam disponíveis ou não para conversar.

Depois de semanas de desenvolvimento, a primeira versão do app estava pronto, e começava a ser utilizado pela comunidade de emigrantes russos de San Jose, através do seu amigo Alex Fishman. E foi essa comunidade que se transformou nos primeiros usuários do WhatsApp.

Na época, o aplicativo era pouco atraente, e Koum quase o abandonou. Mas como um ‘milagre’, a Apple lançou as notificações Push, que foram incorporadas ao WhatsApp, e tudo mudou.

Agora, o aplicativo informava aos usuários quando um contato mudava de estado. Essa funcionalidade foi bem recebida, e o aplicativo começou a ganhar usuários.

Koum sabia que havia criado um app de mensagens instantâneas entre dispositivos móveis, e lançou o WhatsApp 2.0, com mais funcionalidades de mensagens, atraindo a mais de 250 mil usuários.

Em 2011, o WhatsApp já contava com concorrentes diretos, mas todos se aproveitavam da publicidade. Para se destacar, Koum evitou a publicidade dentro do seu app, e não gastou um dólar nessa tática.

A terceira fase do crescimento do WhatsApp foi em oferecer uma alternativa melhor e mais barata que o SMS, com funcionalidades que as operadoras não podiam oferecer (chats em grupo, envio de clips de áudio e vídeo, envio de localização, etc) sem custo no primeiro ano, e por apenas US$ 0,99 nos anos seguintes.

Sem falar que o WhatsApp era multiplataforma, o que foi o item definitivo par ase transformar no aplicativo de mensagens por excelência.

 

Via Reddit