Compartilhe

Os números de telefone não são infinitos, e você já deve saber disso. Nem parece que faz tanto tempo que o Brasil adotou o nono dígito para aliviar a questão. E agora, o Japão pelo mesmo. E como eles solucionaram isso?

 

 

Deixando os números mais longos, é claro

 

Nesse momento, os números de telefone no Japão contam com 11 dígitos, e isso vai mudar de forma drástica em breve. Serão criados no Japão 10 bilhões de números telefônicos de 14 dígitos, e o temor é que em 2022 os números de 11 dígitos se esgotarão no país.

A proposta foi aprovada por três das principais operadoras japonesas (NTT Docomo, KDDI e SoftBank). Os novos números com 14 dígitos serão adicionados a partir de 2021, mas não para substituir os números de 11 dígitos, e sim para blindar o país diante da possibilidade de esgotamento dos outros números.

Esses 10 bilhões de números terão o prefixo 020, utilizado nesse momento pelos dispositivos compatíveis com a Internet das Coisas. Em 2017, esse prefixo foi introduzido, e em março de 2019 já eram 32,6 milhões dos 80 milhões de números 020 do país registrados. Em 2020, o Japão lança a sua rede 5G, e a quantidade de dispositivos vai aumentar, aumentando uma pressão maior sobre esse esgotamento de números.

Logo, na prática, a solução é fazer os números mais longos. Tal medida pode se tornar efetiva com as redes 5G que virão nos próximos anos, já que graças aos dispositivos da Internet das Coisas se tornando mais e mais populares, mais números de telefones serão necessários.

Mais países (inclusive o Brasil) terão que tomar medidas diante da escassez de números de telefone. Apesar da crise econômica global e dos ciclos de troca cada vez maiores, os smarpthones permanecerão como campeões de vendas no mercado de tecnologia em todo o mundo. Ou seja, mais números serão comercializados, e vamos precisar de um número maior de linhas e dígitos para atender essa demanda.

 

Via The Verge, Japan Times


Compartilhe