TargetHD.net | Notícias, Dicas e Reviews de Tecnologia Como montar um PC gamer inspirado nos consoles de videogames de nova geração | TargetHD.net Press "Enter" to skip to content
Wetten.com Brasil Apostas
Você está em | Home | Análises e Reviews | Como montar um PC gamer inspirado nos consoles de videogames de nova geração

Como montar um PC gamer inspirado nos consoles de videogames de nova geração

Compartilhe

Uma vez que os videogames de nova geração não são encontrados em lojas físicas ou online, um número cada vez maior de jogadores está recorrendo ao PC gamer para rodar os seus jogos favoritos. E essas pessoas não estão se arrependendo da decisão.

Apesar do elevado investimento implícito, montar um computador para os jogos tem as suas vantagens. Além de contar com um equipamento pensado especificamente para as suas necessidades, você não precisa esperar o mercado de videogames normalizar para aproveitar os recentes lançamentos de jogos.

Hoje, está muito mais fácil montar um PC gamer, principalmente se o seu orçamento é mais generoso. Os componentes de hardware estão muito mais potentes, os gabinetes são modulares e o investimento em software é bem menor do que no passado.

Ou seja, basta você ter as condições objetivas para tal e algumas dicas para realizar um bom investimento, e você poderá montar o seu computador para games sem maiores problemas.

E neste post, vou compartilhar alguns dos pontos que você deve dar ênfase na hora de montar o seu computador voltado para os jogos de videogames.

 

 

 

Quais são os jogos que você quer jogar?

Esse é o ponto de partida de tudo, e a pergunta mais importante para ajudar a determinar quais são os componentes que você vai colocar no seu PC gamer.

Montar um computador para jogos com o hardware de última geração é algo tentador para qualquer pessoa. Não falo apenas dos usuários cujo objetivo é rodar os jogos mais potentes. Profissionais na área de edição em áudio, foto e vídeo, programadores e até mesmo produtores de conteúdo (como é o meu caso) adorariam ter o melhor do melhor nas configurações técnicas.

Porém, nem sempre a conta fecha. Muitos usuários não vão precisar de um hardware tão potente, porque simplesmente querem executar jogos mais simples e casuais. Nem todo mundo quer virar um gamer profissional, e só pensam naquela diversão casual entre uma tarefa do trabalho e um desenvolvimento de trabalho escolar.

Se você é aquele tipo de pessoa que só usa o computador para jogar no final de semana e, mesmo assim, roda jogos mais básicos, saiba que você é um gamer casual e, por causa disso, não precisa investir tanto dinheiro assim na compra de um hardware mais avançado.

Agora, se o seu objetivo é rodar os principais jogos AAA do mercado, quer levar essa brincadeira a sério e deseja obter do equipamento a melhor experiência possível, não tem jeito: pode investir dinheiro na compra dos componentes necessários para rodar os jogos de forma plena e sem maiores problemas.

 

 

 

Quero igualar o PS5 e o Xbox Series X, mas não tenho tanta grana…

Eu sei como você se sente.

Saiba que você não está sozinho, pois muito provavelmente a grande maioria dos leitores do TargetHD.net que acessaram este post estão na mesma situação que você. A boa notícia é que, por incrível que pareça, é sim possível montar um bom computador gamer sem precisar vender um rim para o mercado negro.

É sim possível obter componentes similares ou um pouco superiores aos principais consoles de videogames do mercado atual, permitindo assim que você execute sem maiores problemas os principais jogos do mercado. Como bônus, você pode atualizar o seu equipamento sempre e quando quiser ou precisar, com um investimento adicional.

A partir de agora, vamos apresentar a lista de componentes para os quais você deve dar um foco maior para obter a melhor relação custo-benefício neste novo PC gamer que você vai montar, mas sempre colocando como foco principal o melhor desempenho possível para a execução dos jogos.

 

 

 

Processador

Vamos começar pelo coração de qualquer computador.

Considerando que tanto o PS5 quanto o Xbox Series X|S estão equipados com uma CPU Zen 2 com apenas 8 MB de cache L3 e clocks de processamento relativamente baixos, é correto dizer que qualquer processador a partir do Ryzen 7 1700 (ou superior) será mais que suficiente para superar a transição do console de videogame para o PC gamer.

E, antes que você comece a protestar por não ver o nome Intel no parágrafo anterior… essa é apenas uma recomendação. É óbvio que você pode procurar qualquer processador equivalente ou superior ao que recomendei neste post.

Por outro lado, é importante que você saiba que a AMD fez um excelente trabalho nos últimos anos para melhorar o desempenho dos seus processadores da família Ryzen, a ponto de diminuir de forma considerável a diferença de performance em comparação com os chips da Intel.

Sem falar que você ainda pode economizar um bom dinheiro ao apostar nos processadores da AMD, que são um pouco menos caros que os chips da Intel.

De forma alternativa (e, principalmente, se você quiser economizar um pouco mais no investimento desse componente), é possível optar por processadores com uma menor quantidade de núcleos, como são os casos do Ryzen 5 2600 ou o Intel Core i5 6600K.

 

 

 

Memória RAM

Quando falamos da RAM nos principais consoles de última geração, as alternativas da Sony e da Microsoft contam com 16 GB de RAM GDDR6, com uma arquitetura de memória unificada. Porém, é importante deixar bem claro que esses números não querem dizer que você vai ter no seu computador gaming 16 GB de RAM e de memória gráfica.

Na prática, os consoles de videogames não contam com divisão física entre os componentes de memória, pois os 16 GB de GDDR6 trabalham de forma conjunta para os dois tipos de memória existentes no console (RAM e gráfica). Isso é necessário para que tanto CPU como GPU consigam gerenciar o elevado volume de informações simultâneas que precisam ser processadas para que o jogo seja executado corretamente.

Pense na enorme quantidade de instruções simultâneas que envolvem um complexo jogo de videogame. Sem falar nas imagens e texturas em alta definição que são reproduzidas o tempo todo na tela, com múltiplas alternâncias e modificações em poucos segundos.

Agora, é importante traduzir essas informações de hardware dos consoles para as configurações que você precisa colocar no seu PC gamer.

Dito tudo isso, para se obter um bom desempenho na execução dos jogos mais exigentes do mercado em um computador, são necessários pelo menos 12 GB de RAM. Porém, o mínimo recomendado para rodar os games sem qualquer tipo de gargalo é mesmo pelo menos 16 GB de RAM.

Não só pela boa execução dos jogos atuais, mas também para garantir uma sobrevida desse computador para os próximos anos, reduzindo as chances da obrigação de um upgrade de memória no futuro.

 

 

 

GPU ou placa gráfica

Um dos elementos mais importantes (se não for hoje o mais importante) para a construção de um PC gamer. Ainda mais agora que esse item está supervalorizado também por causa da mineração de criptomoedas. Mas isso é assunto para outro post.

Todo mundo que acompanha o mercado de tecnologia e é leitor regular do TargetHD.net sabe muito bem que estamos passando por um momento de escassez de placas gráficas, o que fez com que o preço cobrado por esses componentes alcançassem o Monte Everest. Sim, está difícil para qualquer pessoa em qualquer lugar do planeta pagar um preço justo por uma boa placa de vídeo.

Os reflexos diretos da grande crise sanitária global que enfrentamos desde 2020 resultou em uma paralização de toda uma indústria, o que fez com que os preços de memórias e placas gráficas aumentassem de forma significativa. Sem falar na febre das criptomoedas e os conflitos recentes no leste europeu, outros dois fatores que ajudam a impulsionar ainda mais os valores.

Por outro lado, uma vez que você não necessariamente precisa recorrer a uma placa gráfica de última geração para rodar os jogos mais exigentes, qualquer placa que você escolher dentro da série RTX 20 da NVIDIA (ou superior) poderá atender muito bem as necessidades de quem quer rodar os títulos a 30 FPS de forma estável com gráficos 4K.

Aqui, vale a pena repetir a regra do “mínimo recomendado”. Ou seja, se o seu orçamento permitir, o céu é o limite. O item que estou recomendando no post é um ponto de partida ou referência para não investir em algo abaixo disso e encarar as dores de cabeça que podem vir após uma compra equivocada.

 

 

 

Armazenamento

Por último, mas não menos importante, vamos olhar para o tipo de armazenamento que este PC gamer precisa ter para ficar no mesmo nível que um PS5 ou Xbox Series X|S.

Mesmo entendendo que tanto Sony como Microsoft procuraram otimizar ao máximo os tempos de carga de informações dos jogos, é importante você ter em mente que, na sua vida prática como jogador de PC, você realmente não precisa contar com um SSD PCIe de última geração com velocidade de 5.5 GB/s para obter uma boa experiência com os jogos.

Tais números elevados beiram ao mediático, ou são cifras infladas para chamar a atenção dos jogadores. Em termos práticos, não existem jogos nos dois consoles que aproveitam 100% do potencial de hardware dos produtos, e sempre vai existir uma sobra de manobra para outras tarefas secundárias e importantes para a boa experiência nos jogos.

Dá para economizar algum dinheiro neste aspecto e, ainda assim, obter uma boa experiência na execução dos jogos de nova geração. Basta investir em um hardware um pouco mais modesto, mas que entrega um desempenho satisfatório quando combinado com os outros fatores mencionados neste artigo.

Por isso, qualquer SSD Gen3 com velocidade de 2.4 GB/s ou superior é mais que suficiente para obter um ótimo desempenho no seu PC gamer. De novo, isso aqui é uma recomendação de requisito mínimo. Quanto mais você puder investir neste e em todos os outros componentes mencionados aqui, melhor. O céu é sempre o limite neste caso.

 

 

 

Conclusão

Os demais componentes são sim relevantes, mas alguns deles puramente cosméticos ou estéticos. Gabinete, sistema de refrigeração ou coolers, LEDs para decoração e outros itens são, de um modo geral, itens de boa qualidade na maioria das marcas e modelos, e podem ser adquiridos de acordo com as suas preferências ou necessidades.

Com exceção do sistema de resfriamento (que, em regra, vai trabalhar com o tipo de hardware que você escolheu e, por causa disso, seguem regras mais específicas), todo os demais componentes do seu computador para games são de sua livre escolha.

Para quem deseja montar um PC gamer porque não quer mais esperar a boa vontade da Sony e da Microsoft, eu desejo boa sorte e que a Força esteja com você.

Essa é uma das experiências mais interessantes que qualquer usuário fanático por tecnologia pode viver. Construir um computador com as próprias mãos, escolhendo peça por peça, não é apenas um luxo para quem pode investir um bom dinheiro no processo. Até porque eu mostrei neste post que você pode escolher os principais componentes com preços mais acessíveis e, ainda assim, obtendo um ótimo desempenho do conjunto escolhido.

Ter a chance de montar um computador é uma forma excelente de personalizar a tecnologia que você vai colocar dentro de casa e no escritório, além de aproximar esse equipamento do principal objetivo que todo dispositivo eletrônico deve ter: atender exatamente as suas necessidades e expectativas.

Espero ter ajudado com este post a entregar um ponto de partida ou direcionamento para quem pretende montar um computador para os jogos nos próximos meses, principalmente para aqueles gamers de primeira viagem, que pretendem montar o primeiro PC gamer na vida.


Compartilhe