Como evitar ser vítima de phishing com e-mails falsos de seus colegas de trabalho

Compartilhe

Estamos em um momento onde todos estão vivendo o chamado “novo normal” e, de forma inevitável, somos obrigados a nos acostumar com isso. O trabalho remoto, o home office, o ensino à distância e tantos outros formatos de interação chegaram para ficar, e é preciso lidar com isso com a maturidade que o momento exige.

Muitos de nós passamos a utilizar os nossos dispositivos pessoais para tarefas com maior relevância. Usamos o nosso computador e a nossa rede de internet doméstica para as atividades profissionais e, dessa forma, os riscos de nossos equipamentos serem monitorados por olhos alheios e os nossos dados serem roubados ou sequestrados aumentam consideravelmente.

Bem sabemos que as nossas redes domésticas são menos seguras que as redes corporativas, mas isso não deve ser um empecilho para que você possa trabalhar em casa alguma tranquilidade. É preciso antes adotar alguns procedimentos e tomar as devidas precauções.

O “prevenir é melhor do que remediar” nunca foi tão importante como agora.

O phishing ainda é uma das formas mais eficientes para os cibercriminosos roubar dados de outros usuários. A mecânica é sempre a mesma: enviam um e-mail para a vítima, se passando por uma empresa para pedir dados pessoais.

Porém, essa prática está se sofisticando, deixando a sua detecção mais complicada. Agora, os criminosos se passam por uma pessoa de confiança da vítima, copiando a sua forma de escrever e a linguagem utilizada, para enviar um e-mail com algum tipo de fraude.

 

 

 

Cuidado com os e-mails que você recebe de “conhecidos”

 

 

A engenharia social estabelecida para golpes, onde o cibercriminoso se faz passar por uma pessoa de confiança deixa o phishing mais sofisticado e, ao mesmo tempo, mais perigoso. Os hackers se infiltram em conversas de e-mails empresariais que são acessadas por credenciais de contas compradas na deep web. Então, começam a estudar profundamente uma pessoa para imitar sua linguagem e padrões de escrita para confundir as vítimas.

Uma análise realizada pela Barracuda Networks revela que esse tipo de phishing aumentou mais de 400% entre julho e novembro de 2019. A efetividade da prática é bem alta, já que se torna cada vez mais difícil de se detectar. Quando os criminosos conquistam a confiança de suas vítimas, eles começam a prática de extorsão, exigindo grandes quantias de dinheiro, ameaçando o vazamento de dados privados e sensíveis.

 

 

 

Todo cuidado é pouco

 

O ransomware ainda é a forma mais eficiente para os cibercriminosos obterem dados sensíveis dos usuários. Por outro lado, o phishing que se vale da engenharia social e da apropriação da identidade alheia está se tornando cada vez mais popular e frequente.

Logo, a melhor medida para se proteger dessas ameaças é desconfiar de tudo e todos. Se você recebeu um e-mail supostamente enviado por um amigo, familiar ou colega de trabalho e desconfia do conteúdo ou do link disponível para atender a uma solicitação, não clique em nada e, se possível, ligue para a pessoa que enviou a mensagem para identificar a veracidade da mesma.

Não queira você baixar a guarda para os cibercriminosos.

 

 

Via ZDNet


Compartilhe