Como evitar ser rastreado ao usar o Gmail

Compartilhe

Está ficando cada vez mais complicado manter a segurança dos seus dados intacta na internet. O número de ameaças virtuais só aumenta, e as práticas para roubar os dados dos usuários estão cada vez mais complexas. Logo, temos que tentar evitar que o pior aconteça com as nossas informações disponíveis na web.

Nos últimos tempos, ficou comum a prática do roubo de dados a partir de aplicativos falsos que instalamos no smartphone. Cópias de jogos ou apps muito populares que ficam monitorando e roubando nossas informações tão logo são instalados nos dispositivos. Sem falar nos aplicativos que se passam por programas inocentes e úteis, mas que liberam outros softwares espiões para monitorar suas atividades.

Porém, uma das vias mais utilizadas pelos criminosos cibernéticos ao longo da história é o e-mail. O simples fato das pessoas receberem mensagens de e-mail dos mais diferentes tipos e assuntos deixa a porta aberta para que a interceptação e o roubo de informações aconteça sem o usuário perceber.

 

 

 

Por que os e-mails são tão problemáticos na segurança?

 

A cada dia, mais e mais pessoas são rastreadas pelo simples fato de verificar a sua conta de e-mail no Gmail. Um ato simples, que é realizado por bilhões de pessoas ao redor do planeta diariamente, seja para apenas verificar se aquele e-mail confirmando uma compra finalmente chegou, ou para assuntos mais importantes, como um acordo ou a contratação de um produto ou serviço.

A má notícia disso é que o risco existe apenas por você realizar o login de uma conta do Gmail ou revisar alguma mensagem recebida ou a ser enviada. Essas ações tão corriqueiras na vida de muita gente podem ser as portas para o tal monitoramento.

Existe uma ampla variedade de métodos para realizar o rastreamento de e-mails, e um dos mais simples é o redirecionamento dos links. Basta clicar em algum e-mail promocional, e pronto: você será enviado para uma página falsa, onde os seus dados podem ser roubados sem você perceber.

Outro método para roubar dados dos usuários que passa ainda mais desapercebido pela maioria é através do rastreamento de pixels. Um criminoso cibernético pode enviar para você um pixel rastreador dentro da mensagem de e-mail, através de uma imagem em anexo ou em um link. Quando o e-mail é aberto, o pixel envia a informação de volta para o servidor da empresa ou do usuário que está realizando o rastreamento. E a vítima nem se dá conta disso.

Pois bem, o Google está ciente de tudo isso, e decidiu tomar algumas medidas a respeito.

 

 

 

As mudanças no Gmail como estratégia de prevenção

 

 

O Google conta com os seus próprios servidores proxy desde 2014 e, por conta disso, é possível esconder a sua localização de alguns aplicativos de rastreamento que estão disponíveis no mercado, em alguns sites ou aplicativos de procedimento duvidoso.

Extensões como Ugly Mail e PixelBlock foram desenvolvidos para bloquear rastreadores no Chrome e no Firefox. outros navegadores são mais enfáticos na questão da privacidade, e podem realizar essa missão de bloqueio de rastreamento de forma nativa, como são os casos do Brave e do Tor Browser.

É aconselhável que você evite que o seu serviço de e-mail não carregue automaticamente as imagens, pois é aqui que a maioria dos pixels escondidos normalmente estão. Nas Configurações dos serviços de correio eletrônico, basta indicar que toda imagem que chega com as mensagens recebidas deve contar com a sua permissão para serem exibidas.

 

 

Via The Verge


Compartilhe