Como escolher a cadeira mais ergonômica para trabalhar em casa

Compartilhe

A essa altura do ano, muito provavelmente você já montou o seu home office ou escritório em casa. Mas ainda tem muita gente que entende que basta ter um computador e uma conexão com a internet para trabalhar de forma remota.

Na prática, não é bem assim.

Pense como é desconfortável trabalhar até oito horas por dia em uma postura ruim. No final do dia, isso cobra um preço em dores insuportáveis. Nesse sentido, é preciso transformar o seu espaço de trabalho em uma área confortável, respeitar os prazos de descanso e manter uma postura neutra na maior parte do tempo.

Nesse post, apresento um guia breve para obter a melhor ergonomia e postura para trabalhar em casa no modo home office, com dicas de fisioterapeutas especializados em posturologia e ergonomia, além da minha experiência com trabalho em casa nos últimos 12 anos, graças ao TargetHD.net.

 

 

 

Sobre a cadeira: quanto mais regulável, melhor

 

 

A primeira coisa que você precisa ter em mente é que não somos todos iguais. Temos constituições físicas diferentes, logo, nossa condição de postura será diferente. De forma inequívoca.

Cada pessoa tem uma postura própria única, e isso é determinado por uma série de fatores. Por exemplo, algumas pessoas apresentam uma costa plana, enquanto que outros contam com a costa curvada, e tem aqueles que combinam as duas coisas.

Isso acontece porque cada pessoa tem uma posição de cabeça diferente, além dos tamanhos dos corpos que podem variar: mais altos, mais baixos, mais corpulentos, mais magros… e por aí vai.

Logo, esqueça a ideia que existe uma cadeira universal. Na hora de escolher uma cadeira para trabalhar, o mais importante é que a mesma seja adaptável ao seu corpo e às suas características. Nos aspectos ergonômicos, uma cadeira para o trabalho precisa cumprir os critérios a seguir:

1) Com rodas, para facilitar os movimentos ao longo da mesa do escritório, evitando posições forçadas ao movê-la.

2) Que seja ajustável em altura , de forma que os pés fiquem totalmente apoiados no solo e os quadris fiquem ligeiramente acima do joelho, em um ângulo de 90º – 90º. O objetivo? Que a pélvis fica na posição mais neutra possível.

3) Com braços e que sejam reguláveis em altura, evitando assim posições forçadas para que os ombros não subam para além da sua posição habitual.

4) Com ou sem apoio lombar? Álex recomenda um ligeiro relevo que permite esse apoio, mas que permite o ajuste na inclinação ântero-posterior.

5) O assento deve ser estável, sem inclinar de um lado para o outro de acordo com o peso do nosso corpo, pois todos tendemos a inclinar mais para um lado ou para o outro e esse tipo de assento pode causar dores nas costas por gerar posições escolióticas.

6) Que o tecido da cadeira seja respirável, hipoalergênico e não escorregue.

 

 

 

Conclusão

 

Tenha sempre em mente que, se você vai passar oito horas por dia sentado diante de um computador, o mais recomendável e levantar e fazer um alongamento (pescoço, braços, costas e pernas) pelo menos a cada duas horas, para assim evitar que o seu corpo fique comprometido por falta de circulação sanguínea e pela sobrecarga dos músculos durante a atividade laboral.

E escolha sempre a cadeira que melhor vai se adaptar às suas necessidades, ao seu orçamento e ao seu corpo como um todo. A sua saúde vai agradecer, e a sua produtividade também.


Compartilhe