O Chome baixa muitos arquivos todos os dias, e de vez em quando um deles pode conter um vírus. E aí, seu smartphone ou computador acaba sentenciado. Agora, o Google entrega uma ferramenta que, em teoria, vai proteger o usuário dos downloads com vírus.

O Programa de Proteção Avançada do Google (Google’s Advanced Protection Program) oferece uma proteção adicional aos usuários com a sincronização de contas Google ativa, que recebem um alerta sobre o download de risco.

O navegador vai oferecer aos usuários mensagens ou advertências complementares para determinados arquivos, podendo bloquear alguns downloads de forma radical. É uma boa maneira para evitar a infecção de dispositivos, reduzindo as chances dos atacantes.

 

 

O perigo dos downloads sem consentimento

 

 

Os cibercriminosos e criadores de malware buscam de forma intensa outras formas para atacar os usuários. Enviam e-mails e encontram fórmulas que podem iniciar downloads sem o consentimento dos usuários.

Os arquivos que tentam ser enviados sem perguntar ao usuário se chamam drive-bys, e por enquanto não existem formas de serem bloqueados. Quem cria malwares sabe muito bem que precisa inventar novas formas para iniciar os downloads sem que o usuário perceba isso, de modo que a missão do Google não pode terminar por aqui.

Com certeza podem aparecer formas adicionais para inserir arquivos nos equipamentos sem que o usuário se dê conta, de modo que as proteções do Chrome precisam ser mais efetivas. Caso contrário, o risco de qualquer intruso invadir o equipamento pela porta de trás e de forma silenciosa vai continuar.

E o usuário pouco ou nada poderá fazer para resolver esse problema.

 

 

Como funciona a Proteção Avançada do Google

 

 

O recurso funciona apenas quando o usuário está inscrito no já mencionado Programa de Proteção Avançada do Google. Desse modo, cada usuário recebe duas chaves de segurança, que são registradas em sua conta Google. Sem isso, o serviço não funciona.

A primeira chave deve ser sem fio para ser conectada ao computador e dispositivos móveis. A segunda é a chave de reposição, caso o usuário perca a primeira.

Como a tendência é que os hackers busquem outras vias para lançar de forma automática downloads fraudulentos, o programa foi estendido ao navegador Chrome, em uma luta proativa contra os malwares. Sempre que você fizer login no navegador, você vai receber advertências complementares para evitar o download de arquivos em risco. É possível que, em alguns casos, os downloads fiquem absolutamente bloqueados se o Google considera que esse arquivo é considerado de risco extremo.

 

 

Como ativar o sistema de proteção do Google

 

Como já foi dito nesse post, para se beneficiar do sistema de proteção, é preciso se inscrever no Programa de Proteção Avançada do Google. Para isso, inicie a sessão dentro do Chrome, para que o navegador envie o seu histórico de navegação para os servidores do Google.

A partir desse ponto, começa a sincronização entre o histórico web, as senhas e o sistema de configuração em diferentes dispositivos. Aqui, ficam registradas todas as visitas e usos que fazem os usuários dos serviços do Google, incluindo as buscas ou o YouTube.

Quando a conexão estiver formalizada, o Google inicia a proteção avançada, emitindo alertas sobre ameaças de ataques. O serviço oferece a proteção em três sentidos:

1. Defesa contra a suplantação de identidade ou phishing
2. Limitação de acesso aos seus dados (Gmail ou Drive)
3. Incorporação de passos adicionais para verificar a sua identidade

Você pode obter mais informações sobre este plano através da página do Programa de Proteção Avançada do Google, com informações específicas para a sua ativação.

 

Via Google