Hoje, vamos falar como a onipresente Samsung abarca a tecnologia como um todo para ser lucrativa. Aliás, é a marca que mais produtos tecnológicos produz, indo de smartphones até geladeiras. Porém, nem todas as suas linhas de produto entregam os mesmos lucros.

Possivelmente o segmento de telefonia móvel foi o que mais contribuiu para expandir a marca da Samsung ao redor do mundo. É um dos poucos produtos universais e individuais, diferente de TVs, geladeiras e computadores, que podem ser utilizados pelo coletivo.

A Samsung se beneficiou da eclosão dos smartphones, e é líder do setor desde 2012, acabando com o império da Nokia e da BlackBerry. E são os smartphones que dão mais receita para os coreanos, com números entre US$ 87 bilhões e US$ 98 bilhões nos últimos anos.

O segmento de telas e eletrônica de consumo estão estáveis, com US$ 25 bilhões e US$ 40 bilhões respectivamente. Mas o que mais cresceu (de longe) foi a divisão de semicondutores ou componentes.

A Samsung é líder mundial desse segmento, na frente da Intel inclusive, dobrando o seu volume de produção em três anos e sendo a mais rentável dentro do setor. A liderança dos coreanos é cada vez maior, e já se aproxima dos 50%, ficando muito acima dos demais.

A tendência de crescimento se consolidou nos últimos trimestres principalmente por causa das vendas de memórias DRAM para servidores e unidades de armazenamento para smartphones com 128 GB e superiores.

Por outro lado, a margem mínima de lucros na eletrônica de consumo e a queda nas telas. A própria Samsung reconheceu que a empresa sofreu uma queda na demanda de telas flexíveis OLED, e uma queda nos preços das telas em LCD.

O paradoxo aqui é interessante: a Samsung ganhou mais dinheiro com cada iPhone X vendido do que com cada Galaxy S9. No final das contas, é a única empresa do mundo que pode fabricar telas, memória flash e RAM nas quantidades que a Apple precisa.

Por isso, amiguinhos, não adianta entrar na briga entre Samsung e Apple. As duas contam com suas divergências nos tribunais, mas são parceiras convictas no segmento de telefonia móvel.

A Samsung tem outras atividades, como as demais empresas fora da Samsung Electronics, que é o alvo principal desse post. A Samsung Heavy Industries é o segundo maior construtor de barcos do mundo. A Samsung Life Insurances é uma seguradora com sede em Seul. E a Cheil Worldwide é uma agência de relações públicas e marketing. Sem falar na participação na Renault-Samsung, marca resultante depois da venda do seu negócio automobilístico para a Renault nos anos 90.