Compartilhe

E claro que dormir com o smartphone pode ser ruim para a sua saúde. Mas não por causa da radiação (cuja relação não existe evidência alguma), mas por causa de algo muito mais simples: a luz.

O ser humano é profundamente marcado pelo relógio interno, que é controlado pela luz e por outros estímulos. Ir para a cama com qualquer dispositivo móvel com tela pode provocar efeitos inesperados.

 

 

O problema da luz azul

Os seres vivos são controlados por um relógio biológico conhecido como ritmo circadiano. Ele é que faz com que você se sinta mais cansado em determinadas horas do dia, que a comida pese à noite ou que uma noite de sono seja ruim. Esse ritmo circadiano é controlado por vários fatores, sendo o mais importante a luz.

A luz regula a segregação da melatonina, que é o hormônio que regula o estado fisiológico que nos leva ao sono, entre várias outras coisas. Esse hormônio começa a ser produzido ao entardecer, por parte da glândula pineal. Horas depois, no escuro da noite, a melatonina alcança o seu ápice, induzindo o ser humano ao sono.

Isso acontece porque uma série de sinais químicos e fisiológicos são ativados no nosso corpo. E é exatamente aqui que a luz azul se torna um problema: notebooks, tablets, smartphones e outros dispositivos emitem luzes brilhantes, especialmente dentro do alcance dos azuis.

A luz azul é associada na natureza com o céu diurno, e ela é a que mais suprime a produção da melatonina. E quanto maior é a intensidade dessa luz azul produzida pelas telas, mais se interrompe o ciclo do sono.

Com a suspensão da melatonina se interrompe o ciclo circadiano e a qualidade do sono cai. Nosso cérebro, diante dos estímulos procedentes do dispositivo móvel, não entra em estado de relaxamento necessário para dormir de forma adequada, algo que leva em torno de 45 minutos depois (de acordo com os picos da melatonina) que a escuridão chega.

Ou seja, se você realmente quer ter uma vida mais saudável, um cérebro mais descansado e uma noite de sono mais tranquila, é mais que recomendado que você abandone as telas depois das 22 horas, para que os efeitos da luz azul não afetem tanto o seu corpo, que vai se preparar para uma boa noite de sono.

Ah, sim… o Kindle continua valendo, pois as telas de tinta eletrônica não emitem luz azul.


Compartilhe