Como a Epic Games Store ganha dinheiro oferecendo jogos de graça?

Compartilhe

A Epic Games Store tem uma estratégia de mercado peculiar: oferecer games de graça para que você possa jogar quando quiser. Nada mal, não? Pois é… mas a empresa está fazendo isso com muita frequência, o que a distancia (e muito) de sua concorrência comercial.

E isso é algo que só a empresa que criou Fortnite pode fazer.

Então… por que isso está acontecendo? Como a Epic ganha dinheiro com tal estratégia?

Ou melhor… o que eles ganham em troca com a iniciativa?

 

 

 

A resposta é clara e bem óbvia…

 

 

Publicidade.

A Epic Games Store usa os jogos gratuitos como isca para que as pessoas abram uma conta lá (algo imprescindível para obter os jogos) e, em muitos casos, oferece ofertas de jogos para um grupo de pessoas que não pagariam um centavo nesses títulos se não tivessem a motivação dos jogos gratuitos.

A estratégia resultou em um efeito paralelo inesperado: estúdios que ofereceram jogos de graça na Epic Games Store confirmam que, depois disso, suas vendas no Steam e nos consoles aumentaram, já que a gratuidade do jogo fez crescer o parque de jogadores, o que resulta em mais conteúdo nas redes sociais, plataformas de vídeos online, plataformas de streaming, etc, motivando a muitas pessoas a adquirirem esses mesmos jogos.

Mesmo que não seja de graça.

 

 

 

Ganham dinheiro e ainda derrubam a Steam

 

 

Nem tudo é dinheiro nesse mundo, e a Epic sabe disso. Ter muitos usuários ativos no seu jogo significa ter muitos dados que valem dinheiro, o que ajuda (e muito) na hora de buscar investidores e dinheiro para a plataforma.

Pensando dessa forma, a Epic deve ser ainda mais valiosa do que imaginamos. Lembrando que a gigante chinesa Tencent comprou 40% da Epic em 2012, o que reforça ainda mais a importância dos dados na empresa.

Além disso, a Epic investiu muito dinheiro (e flame wars na internet) para obter jogos exclusivos, mesmo que de forma temporária, e também deixou de usar o seu motor Unreal para que os estúdios vendessem seus jogos a partir de sua loja. E a cereja do bolo é a cobrança de apenas 12% de comissão dos lucros nas vendas realizadas em sua loja, menos da metade (30%) que o Steam cobra de comissão.

Isso fez com que a Valve repensasse a sua estratégia, reduzindo a comissão para 25% e 20% com o avançar das vendas de um jogo na Steam. Por outro lado, a Epic ofrerece apoio financeiro para desenvolvimento e marketing para os desenvolvedores independentes, o que pode resultar em jogos melhores e exclusivos dentro de sua loja.

 

 

Por enquanto, tudo está funcionando para a Epic. Porém, a Steam segue se renovando, e muitos jogadores contam com uma enorme biblioteca de jogos nesta loja. Isso faz com que não só os gamers mais fiéis permanecem na plataforma, como também leva ao aumento dos usuários a médio prazo.

Outro golpe da Steam contra a Epic aconteceu quando a Elctronic Arts decidiu encerrar a EA Origin, colocando algumas de suas principais franquias na plataforma da Valve.

Por outro lado, a Epic revelou números acachapantes após o primeiro ano de vida da Epic Games Store, e já conta com 61 milhões de usuários… e deu de presente GTA V para comemorar.

Moral da história: jogos grátis são sim lucrativos para as empresas de videogames.

Continue assim, Epic!


Compartilhe