Clickbait: o que é, e como funciona

Compartilhe

Muitos já se depararam com esse termo em algum momento na internet. Por isso, nesse post, vamos nos aprofundar um pouco mais no clickbait, ou seja, o formato pensado em atrair a atenção dos leitores, que acabam clicando no link de uma notícia ou artigo.

Para aumentar o tráfego no seu site, blog ou canal do YouTube, você precisa ser atraente logo de cara. Por isso, o clickbait é importante. É um elemento que ajuda as ferramentas analíticas a identificarem o tipo de conteúdo preferido pelos leitores daquele veículo e, dessa forma, é possível produzir conteúdos cada vez mais direcionados para esse público bem específico.

 

 

 

O poder de virar viral

 

O objetivo do clickbait é fazer com que um conteúdo jornalístico seja transmitido pela internet com a facilidade de um vírus, algo que é cada vez mais difícil de alcançar em um mercado saturado de estímulos informativos, com um senso de urgência cada vez maior. Todo mundo usa esse recurso, indo dos blogs independentes até os grandes veículos de comunicação.

O clickbait se vale da psicologia para estimular o desejo de acessar a um conteúdo. Os métodos mais utilizados são descritos de forma resumida nos tópicos abaixo.

 

 

 

Oferecer uma informação incompleta

 

O objetivo aqui é despertar a curiosidade do leitor, ocultando uma parte fundamental da informação. Diante de uma carência informativa, se produz uma sensação de inquietude e mal estar, que só se resolve com a informação completa. Assim, a pessoa lê o clickbait e clica no link para saber mais.

Exemplos: “Ator brasileiro está conquistando Hollywood”, “Os quatro youtubers brasileiros mais odiados”, “Os cinco erros que cometemos ao dirigir”, etc.

 

 

 

Conteúdos sensacionalistas

 

Uma tática utilizada por séculos pelo jornalismo de todo o mundo é colocar títulos polêmicos ou escandalosos para chamar a atenção. E vem funcionando muito bem, onde a era da internet só reforçou a prática.

 

 

 

Curiosidades e celebridades

 

Títulos como “Combinei Nutella com Amoeba, e olha só o que deu” em vídeos no YouTube sempre atraíram as pessoas mais curiosas. Títulos com nomes de celebridades são outras formas de atrair as pessoas para aquela notícia, mesmo que seja em um assunto completamente banal como, por exemplo, o início da amizade das esposas de Messi e Suárez.

 

 

 

A morbidez sórdida

 

Muitas pessoas acabam atraídas pelas notícias mais mórbidas e absurdas possíveis, talvez pelo simples fato do incidente em si jorrar sangue por todos os lados. A psicologia humana deve explicar isso melhor do que eu.

 

 

 

O lado negativo do clickbait

 

No final das contas, o clickbait acaba prejudicando a qualidade da informação recebida porque satura a internet de notícias banais, exageradas e de recursos expressivos que servem de gancho para a informação que será difundida pelos meios de comunicação e redes sociais.

Quando clicar em um link na internet, seja consciente dos recursos que foram descritos nesse post. Alguns deles são evidentes, e podem ser identificados com relativa facilidade. Já outros são mais sutis, e precisam de uma maior atenção. Mas todos estão perfeitamente desenvolvidos para que você morda o anzol.

Que ao menos você fique consciente que o anzol está lá.


Compartilhe