Compartilhe

Uma pergunta: o seu filho deu permissão para você expor a imagem dele na internet? Outra pergunta: e quando ele for maior de idade e descobrir que você entregou esse material para amigos e inimigos dele?

Felizmente, os pais estão se opondo frontalmente ao compartilhamento de imagens dos seus filhos nas redes sociais, especialmente que outras pessoas publiquem no seu lugar. Porém, ainda tem muitos pais sem noção que expõem tudo o que os filhos fazem com uma infinidade de pessoas.

O tema é polêmico, mas precisa ser debatido e encarado de frente. E não é de fácil consenso. Por isso, esse post apresenta cinco ótimos motivos para você não expor os seus filhos nas redes sociais.

Vale a pena a leitura e posterior reflexão.

 

 

1. Pouquíssimas pessoas realmente se importam com o seu filho

Seus filhos são os SEUS filhos, e são a coisa mais importante da SUA vida. E para por aí. O resto do mundo não se importa com eles. Logo, publicar o que os seus filhos estão fazendo é algo absolutamente desnecessário.

Além de fornecer informações sobre a sua família que nem todos precisam saber, certas intimidades são um direito deles, e não podem ser compartilhadas nas redes sociais.

Tudo bem que seus parentes e amigos mais próximos querem ver como os seus filhos estão crescendo. Então, use plataformas que garantem o mínimo de privacidade. Sem falar que seus vizinhos e conhecidos não pediram para ver fotos do seu filho.

 

 

2. As gigantes tecnológicas adoram as fotos do seu filho

Google, Amazon e Facebook vivem de publicidade, e usam as fotos que você publica como uma forma de ganhar dinheiro. Como? Aproveitando as imagens para anúncios publicitários.

As redes sociais podem montar um perfil completo do seu filho a partir das informações que você compartilha, e podem vender essas informações para as empresas de publicidade.

Sem pagar um tostão para você. E sem a autorização do seu filho, que sequer abriu a boca para contestar isso tudo.

 

 

3. Onde o seu filho mora? Qual escola ele frequenta?

Quando você compartilha uma foto do aniversário do seu filho, as redes sociais pegam essa informação. Quando você compartilha a foto dele entrando na escola, elas pegam essa informação. Quando você deixa a localização da imagem ativa, elas nem pegam: é você quem entrega esse dado para as redes.

Cuidado com fotos em locais públicos, sem falar nas demais crianças que podem aparecer na foto (e automaticamente estão com a privacidade violada por você). Hoje está bem fácil descobrir onde qualquer pessoa está através das fotos.

 

 

4. O poder de uma imagem

Uma imagem vale mais do que mil palavras, e isso é ainda mais verdadeiro na hora de proteger a privacidade dos menores. Imagine a situação: você compartilha a foto do seu filho em um museu, onde ele aparece ao lado de um esqueleto de um dinossauro, e a foto foi registrada no dia do seu aniversário de seis anos.

Pense na quantidade de informações sobre o seu filho que estão na foto, sem falar que exibe a aparência física dele. Todos os dados podem ser utilizados para formar o perfil do seu filho (e o seu) para que a publicidade segmentada atormente a sua vida para sempre.

 

 

5. Mas é um legado… para sempre?

O Facebook tem apenas 14 anos de vida, e as demais redes sociais são mais jovens que ele. É difícil saber quais são os efeitos da publicidade indiscriminada de imagens nessas plataformas para os seus filhos.

Alguns filhos já estão denunciando os seus pais pela exposição de sua infância nas redes sociais. E eles estão completamente certos. Se as redes sociais compilam esses dados para uso comercial no futuro, imagine o inferno que será a vida deles quando completarem a maioridade legal.

Sem falar nas redes de cibercrimes que podem pegar esses dados todos para, no futuro, cometer delitos mais sérios.

Pense em tudo isso antes de publicar a imagem do seu pimpolho nas redes sociais.


Compartilhe