Compartilhe

Hoje, 31 de dezembro, chega ao fim o desastroso ano de 2019 e, para alguns, a década. Ao longo desse ano (e da década que está chegando ao fim), as gigantes de tecnologia seguiram avançando em um ritmo desenfreado, competindo cabeça a cabeça para entregar no mercado os melhores dispositivos.

E nessa guerra constante para ficarem no topo, as gigantes de tecnologia cometem erros inexplicáveis, lançando produtos que podem ser considerados como simplesmente desastrosos. E eu não estou falando de qualquer empresa: estou falando de gigantes, como Amazon, Google, Apple ou Samsung, que protagonizaram alguns dos grandes fiascos e fracassos do mundo da tecnologia nos últimos dez anos.

Nesse post, mencionamos apenas cinco desses desastres que marcaram a década que está chegando ao fim.

 

 

A “bomba” da Samsung chamada Galaxy Note 7

A última coisa que qualquer usuário de smartphone espera (e deseja) nessa vida é conectar o seu telefone no carregador e, do nada, o dispositivo terminar em chamas. E foi exatamente isso o que aconteceu com vários usuários do Samsung Galaxy Note 7, um telefone top de linha mais que promissor, lançado em 2016.

Meses depois dos incidentes, a Samsung atribuiu os incêndios a um curto circuito na bateria por problemas de design e soldagem. Ou seja, uma falha de projeto absurda que condenou de forma definitiva um smartphone que era apontado como o melhor daquele ano.

 

 

O antennagate do iPhone 4

Quando a Apple apresentou o iPhone 4 em 2010, os problemas não demoraram nada em aparecer. Uma falha de design fazia com que os usuários tapassem a antena ao segurar o smartphone de forma que o dispositivo perdesse a cobertura de sinal e a conexão com as redes móveis.

Diversos especialistas e meios de comunicação qualificaram a falha – chamada de antennagate na época – como o maior fracasso tecnológico de 2010. E isso foi confirmado quando Steve Jobs convocou uma conferência para dizer que “vocês estão segurando o iPhone errado”.

A desculpa não colou, e o mesmo Jobs teve que dizer por diversas oportunidades posteriores que “não somos perfeitos”. Então, a Apple foi obrigada a oferecer de graça cases que solucionavam o problema, além de modificar o design das antenas nos modelos posteriores.

 

 

O impressionante fracasso do Amazon Fire Phone

Em 2019, a Amazon se tornou a marca mais valiosa do mundo. Porém, a gigante varejista tem no seu histórico um fracasso colossal ao tentar entrar no mercado de smartphones, com o lançamento do Fire Phone.

O dispositivo foi apresentado em 2014, e as reações ao produto foram negativas desde o começo. Seu preço (US$ 649) era caro demais para as suas especificações, e o produto nunca chegou a encontrar um espaço no mercado. Seu baixo volume de vendas resultou em um prejuízo de US$ 170 milhões para Jeff Bezos.

 

 

A TV 3D

Sony, Panasonic e LG chegaram a pensar (e afirmar em diversas oportunidades) que o 3D seria o futuro. Mas isso nunca aconteceu, pois o formato nunca caiu no gosto dos consumidores.

A falta de conteúdo, os preços elevados das TVs e o desconforto gerado pelos óculos 3D condenaram essa tecnologia ao fracasso. E um fracasso contundente.

 

 

Galaxy Fold, o smartphone dobrável problemático

A Samsung apresentou em fevereiro de 2019 um dos smartphones mais esperados do ano, o Galaxy Fold. Mas as primeiras impressões do primeiro smartphone dobrável dos coreanos não foram as melhores.

O problema é que várias unidades do dispositivo se quebraram nas mãos dos analistas em tecnologia com apenas dois dias de uso, enquanto que uma das unidades ficou com uma marca no ponto de dobra da tela, e outro ficava com a tela ligando e desligando de forma constante.

A Samsung corrigiu os problemas e relançou o Galaxy Fold e, com tudo isso, o produto é um sucesso de vendas. Mesmo assim, seu começo problemático queimou um pouco o filme dos coreanos.


Compartilhe