A corrida espacial resultou em muitos avanços, mas pouco se falou sobre como os relógios inteligentes tiveram um papel relevante nas missões espaciais.

A segunda missão ao espaço do astronauta espanhol Pedro Duque em 2003 foi auxiliada pelo seu relógio Casio HBX-100, que foi utilizado para gerenciar seu plano de voo. Pena que ele perdeu o relógio naquela missão.

A Casio sempre ofereceu relógios que ia um pouco mais além. Um dos mais interessantes é o Casio HBX-100, utilizando na missão Cervantes da Agência Espacial Europeia de 2003.

A característica mais chamativa do relógio era o seu suporte de conexão por infravermelho, o que permitiu a Duque carregar todo o plano de voo da missão no relógio.

O astronauta substituiu a pulseira por uma tira de velcro, mas a ideia não foi das melhores: ao vestir o traje para a reentrada, acertou o relógio, que saiu em disparada e chegou ao compartimento que se desprende e vaporiza durante a reentrada.

Uma lástima, mas um detalhe singular e interessante que revela a importância dos relógios nas viagens espaciais. Tudo bem que o Omega Speedmaster foi um dos mais utilizados pelos astronautas da NASA, mas a agência já propôs em 2015 desenvolver apps específicas para esse âmbito.

 

+info