Compartilhe

O Parlamento Europeu quer reduzir o lixo eletrônico, e uma das soluções mais simples para alcançar este objetivo é adotar um padrão único para carregadores (por exemplo). Mas a Apple, (para variar) não está de acordo, e por anos luta para se manter exclusiva com suas soluções de carga e comunicação.

Já em 2009, a Comissão Europeia pressionou e conseguiu popularizar o microUSB, obrigando a Apple a incluir um adaptador para esse padrão. Em 2014, a CE voltou a tentar um padrão universal, alegando os benefícios para os consumidores, indústria e meio ambiente, mas não houve um consenso sobre o o tema.

 

 

Entendendo todos os lados da questão

A Apple contestou a avaliação europeia sobre o impacto de um carregador comum no meio ambiente, alegando que tais regulamentações congelam a inovação e não beneficia os clientes e o meio ambiente, e a troca do Lightning para um conector universal resultaria em “um volume sem precedentes” de lixo eletrônico e muitos inconvenientes para os usuários.

Na verdade, a Apple também perderia os lucros de sua propriedade tecnológica, uma vez que ela cobra dos fabricantes de acessórios para os seus produtos, já que a empresa tem os direitos exclusivos de suas patentes. Uma porta micro USB ou USB-C permitiria que (em teoria) qualquer acessório compatível funcione com os iDevices, e a Apple não receberia os royalties pelas vendas de acessórios exclusivos.

Logo não é improvável que a UE acabe obrigando a Apple a utilizar o padrão USB-C em todos os seus produtos (alguns já possuem esse padrão), seguindo assim uma tendência de mercado que já é irreversível. E desde que começaram a estabelecer um padrão universal para os conectores, os ganhos gerais para os usuários são enormes: de 30 soluções de recarga disponíveis em 2009, passamos para apenas três em 2020, o que mostra a clara e real necessidade na adoção de um conector comum.

O Parlamento Europeu vai retomar as discussões sobre a adoção de um carregador universal, e as consequências podem ser importantes. A UE está convencida que a Apple não vai abraçar essa mudança de forma voluntária, de modo que é muito provável que um prazo seja estabelecido para que toda a indústria se adapte ao novo cenário.

Agora… será que veremos a Apple incluindo o novo adaptador USB-C em todos os seus produtos? Será que o novo iPhone vai contar com essa porta de recarga?

Esse é muito mais um desejo por parte dos usuários do que algo factível. Nesse momento, só podemos esperar o tempo passar (e os rumores aparecerem).

 

 

Não dá para a Apple seguir sempre contra a maré

Já foi explicado o que está em jogo nessa discussão. Por um lado, um cenário mais universal beneficia o meio ambiente e os clientes recebem uma liberdade maior para escolher os seus acessórios. Por outro lado, esse mesmo cenário pode congelar a evolução tecnológica e reduzir os lucros da Apple com os seus produtos.

Fato é que os argumentos se convergem, mas a tendência de um padrão único para os conectores ainda é a melhor saída. A Apple pode sim avançar na questão tecnológica otimizando soluções de hardware e software, se diferenciando assim das demais e oferecendo acessórios exclusivos que entregam esses diferenciais.

Mas seguir na contramão do mercado, em pleno 2020? Acho difícil.


Compartilhe