Brasil lidera ranking de apps instalados na América Latina no primeiro trimestre de 2020 | TargetHD.net
TargetHD.net | Notícias, Dicas e Reviews de Tecnologia Brasil lidera ranking de apps instalados na América Latina no primeiro trimestre de 2020 | TargetHD.net Press "Enter" to skip to content
Wetten.com Brasil Apostas
Você está em | Home | Notícias | Brasil lidera ranking de apps instalados na América Latina no primeiro trimestre de 2020

Brasil lidera ranking de apps instalados na América Latina no primeiro trimestre de 2020

Compartilhe

Toda essa situação complexa que o mundo está vivendo fez com que vários dos nossos hábitos se modificassem. Muitos de nós voltaram a utilizar o computador para realizar o trabalho remoto em home office ou para adotar o ensino à distância, e o impacto no uso do smartphone seria algo inevitável.

O que sabemos agora é como a América Latina foi afetada nesse aspecto, mostrando como os usuários de dispositivos móveis do continente tiveram que se adaptar aos novos tempos. E o Brasil recebe um destaque especial nesse sentido.

 

 

 

Brasil liderando o número de aplicativos instalados

 

A plataforma AppsFlyer realizou a primeira edição de um novo estudo, o State of App Marketing in Latin America, que mostra os dados do panorama dos aplicativos móveis na América Latina durante o primeiro trimestre de 2020, comparando com os dados do mesmo período de 2019. O estudo é importante para mostrar a sensível mudança de comportamento dos usuários, comparando o antigo normal com o novo normal.

O estudo dá uma ênfase maior ao comportamento dos usuários brasileiros. O Brasil foi o país com a maior quantidade de aplicativos instalados nos smartphones durante o primeiro trimestre de 2020, com um aumento de 55% nesse sentido.

O aumento pode ser explicado por diversos fatores, como por exemplo a quantidade de usuários dentro do continente, como também o aumento de necessidades específicas por conta dos novos tempos.

Outros países da América Latina também receberam destaque no estudo, como foram os casos da Colômbia que registrou um aumento de 15% no número médio de instalações por aplicativo, e do México, que foi o país que registrou o maior aumento de receitas de aplicativos por conta do novo normal, com um aumento de até 65%.

De acordo com o AppsFlyer, a sustentabilidade de um aplicativo depende hoje, mais do que nunca, das audiências de qualidade. Por isso, o marketing desses aplicativos já não deve mais ser focado no volume de instalações, mas também nos usuários com maiores probabilidades de se envolverem e se comprometerem com os seus serviços. Centrar esforços nos dados posteriores à instalação permite determinar como são as suas audiências ideais, entendendo quais canais, quais campanhas e que mídias originou essa audiência.

 

 

 

O ressurgimento dos aplicativos brasileiros

 

 

Desde 2018, os aplicativos desenvolvidos na China estão reduzindo a sua participação de mercado, dando lugar para apps vindos de países como Estados Unidos, Israel, Rússia e Brasil.

Falando um pouco mais dos apps brasileiros, no começo de 2020, esses softwares conquistaram 18% do mercado regional, ficando apenas 3% atrás do volume de mercado dos aplicativos desenvolvidos na China.

A cota de aplicativos brasileiros aumentou 125% em relação à proporção de aplicativos chineses. O nosso país é o maior mercado da região, onde essas instalações acabaram se transformando em usuários de serviços pagos. E é aqui que o novo normal mostra os seus sinais mais claros de mudança no comportamento dos usuários de smartphones no Brasil.

 

 

A categoria Delivery de Comida lidera o ranking de apps com maior volume de instalações, com 15.9%, seguida por Serviços (11.9%), Compras (9.2%), Viagens (5.3%) e Estilo de Vida (3.1%).

O AppsFlyer reforça que os aplicativos na América Latina estão se desenvolvendo em um ritmo frenético, ainda que a probabilidade de um deles ser descoberto organicamente em alguma loja de aplicativos é praticamente inexistente e, por causa disso, o investimento em marketing ganha maior relevância.

 

 

Via InfoBae


Compartilhe