Bill Gates abandona o grupo de diretores da Microsoft

Compartilhe

Bill Gates, um dos pais da Microsoft e dono de um dos maiores impérios de tecnologia do planeta, anunciou que está deixando o seu posto na junta diretiva da empresa para se dedicar ainda mais aos seus trabalhos de filantropia, através da Bill and Melinda Gates Foundation.

O anúncio se tornou público na página de notícias da empresa, que lembra que Bill Gates já passou a ter uma dedicação menor à Microsoft a partir de 2008 para colocar mais do seu tempo e esforços para a sua fundação filantrópica. Gates permaneceu como presidente do conselho administrativo da empresa até fevereiro de 2019, e depois de deixar a direção do Conselho e se manter na junta diretiva, esta última etapa da sua vida corporativa na gigante de Redmond chega ao fim.

 

 

 

Mais tempo para a sua fundação, mas sem abandonar a Microsoft por completo

 

 

Dessa forma, Bill Gates coloca um ponto final na sua tarefa em seguir participando e contribuindo para as decisões tomadas na junta diretiva da empresa, podendo agora se dedicar a essa missão filantrópica que ele assumiu há anos ao lado de sua mulher e dos demais membros dessa organização. As causas que a Bill and Melinda Gates Foundation apoiou são das mais diversas, indo da tentativa em frear a mudança climática até a reinvenção do gás.

Gates fundou a Microsoft em 1975 ao lado de Paul Allen (que faleceu em 2018), mas mesmo tomando a decisão em abandonar a junta diretiva da Microsoft e o seu posto no Conselho da Berkshire Hathaway (o conglomerado de empresas liderado por Warren Buffett), na prática ele não abandona a Microsoft como um todo, uma vez que ele se mantém como “assessor tecnológico” do atual CEO da empresa, Satya Nadella. Um posto que, na prática, é muito mais simbólico do que efetivo dentro do organograma da empresa.

Além disso, Bill Gates se mantém como um dos principais acionistas da Microsoft, com 1.36% da empresa, que é avaliada hoje em mais de US$ 1.21 bilhões.

Vamos ver quais são os caminhos a serem adotados tanto pela Microsoft como pela Bill and Melinda Gates Foundation.

 

 

Via Microsoft


Compartilhe