Atualizar o seu computador pode custar mais barato em breve

Compartilhe

Se você está pensando em compara um smartphone novo, pois o seu atual não abre nem a Calculadora e você precisa de mais espaço de armazenamento nativo no seu dispositivo (porque o cartão de memória que você comprou no camelô não é dos mais confiáveis, eu tenho boas notícias.

Apesar do dólar estar com uma cotação de R$ 5.53 no momento em que esse post foi produzido, o que é uma notícia péssima para qualquer pessoa… são boas notícias.

Ah, e as notícias são boas também para você, que planeja realizar aquela atualização no seu computador ou notebook, que já conta com um tempo de vida, mas que pode ressurgir das cinzas ao receber mais RAM e uma SSD no lugar desse velho HD.

Alguns especialistas no setor de hardware estão afirmando que os preços da RAM e do SSD vão cair. E isso não vai demorar a acontecer.

 

 

 

“- É um milagre?”, você me pergunta…

 

 

Não. Não é um milagre. E se isso realmente acontecer, também não será um milagre.

Há uma explicação racional para a redução dos preços da RAM e do SSD em um futuro próximo: o excesso de oferta de chips NAND e DRAM para unidades e módulos de memória. A falta demanda desses componentes pode resultar em uma queda de preços de aproximadamente 10% para o final do ano, e os preços seriam ainda mais competitivos em 2021.

Outros fatores devem afetar os preços para baixo desses componentes, o que pode resultar em dispositivos mais baratos para nós no futuro. Um dos eventos que pode contribuir para a queda de preço da RAM e do SSD é (por exemplo) o lançamento dos novos iPhones.

É claro que a crise sanitária global também vai ter efeitos nessa redução de preços, mas não é a única justificativa. Os componentes sobrando nas fábricas pode fazer com que os preços dos componentes acabem caindo de forma considerável, e essa tendência de queda de valores deve perdurar até a primeira metade de 2021, pelo menos.

Ou seja, tem muita memória circulando no mercado, e os fabricantes de dispositivos não estão pedindo componentes na mesma velocidade que fazia nos anos anteriores. Além disso, os centros de dados e clientes empresariais acabaram acumulando em seu inventário módulos de memória, com medo da escassez de peças em novas ondas da crise sanitária atual.

No final das contas, essa redução de preços dos componentes pode se refletir no valor final dos produtos. Bom, pelo menos na teoria. Nunca sabemos o que os executivos das principais marcas de tecnologia realmente pensam, e alguns deles podem querer recuperar o prejuízo que a crise sanitária global deixou.

Por outro lado, podemos ver na Black Friday 2020 produtos com preços realmente MUITO interessantes, e não estamos falando apenas dos modelos reciclados, versões Lite de outros modelos mais badalados, ou até mesmo refugos de determinados mercados.

No final das contas, os inventários exagerados que os fabricantes de tecnologia criaram com medo dos problemas de saúde que podemos ter no futuro pode sim ser uma coisa boa para o consumidor, que vai receber produtos de qualidade com preços mais competitivos.

Já os fabricantes vão precisar repensar na estratégia estabelecidas. Quem sabe se eles esperassem mais um pouco antes de tomar qualquer decisão nesse sentido?

De qualquer forma, vamos esperar pelos próximos acontecimentos.

 

 

Via DRAMeXchange, DigiTimes, TechSpot


Compartilhe