Compartilhe

Mais um desafiador post de melhores de 2018. Dessa vez, vamos comentar sobre algumas das melhores distribuições GNU/Linux de 2018, em uma lista bem subjetiva mas objetiva. Sim, contraditório, mas é importante ressaltar isso, já que as pessoas percebem a realidade de diferentes maneiras.

Muito além da qualidade técnica de cada distribuição, é preciso dar valor para a acessibilidade para os usuários menos experientes, mas isso precisa ser feito com inteligência. As distros citadas aqui podem ser as melhores para o uso do dia a dia, se destacando em relação às demais ao longo de 2018.

 

 

Linux Mint

 

 

Repetição do mesmo tema, mas mais que necessária. Recebe elogios há muito tempo, e tudo o que há de bom aqui se resume na palavra equilíbrio. Consegue combinar bem as novidades, a estabilidade, o desempenho, as opções, entre outros fatores. É a melhor experiência Linux desktop para o grande público.

 

 

Kubuntu 18.04 LTS

 

 

Uma surpresa. Perdeu um pouco o foco nos últimos anos, mas nessa versão, entregou melhorias que resultam em uma das melhores experiências de uso com o KDE Plasma. O suporte duplo ao longo prazo é um dos segredos para o seu sucesso, em uma combinação que oferece estabilidade e desempenho de primeira classe.

 

 

Manjaro

 

 

Outra surpresa, já que estamos falando de uma distribuição rolling release. Porém, esse tipo de distro pode ser tão estável como qualquer outra, apesar das incógnitas das atualizações. O Manjaro se destaca pois é uma semi-rolling que segue a principal regra do Linux Mint: entrega um equilíbrio digno entre novidade e estabilidade, além de facilitar o acesso ao usuário comum de forma eficiente.

 

 

Menções honrosas

Há várias outras distribuições que merecem ser consideradas por méritos próprios:

Fedora: A distribuição comunitária da Red Hat poderia ter ocupado o pódio sem problemas. Está se transformando em uma plataforma tecnológica de inovação bem interessante.

Deepin: Recebeu três atualizações em 2018, todas com melhoras relevantes. Ainda tem vários aspectos a melhorar para competir com distribuições como a Linux Mint, mas é a distro que mais rápido avança.

elementary OS: Cheio de novidades, o elementary OS Juno recupera um pouco do frescor da versão Jupiter e muito da experiência da Freya, e foi um dos lançamentos mais interessantes de 2018. Se redimiu em partes de um passado com críticas não tão justas.

Ubuntu 18.04 LTS: A principal edição do Ubuntu com GNOME não chega a oferecer o mesmo que entregava a versão anterior com LTS. Mesmo assim, sem a Bionic Bevar, não existiriam outras tantas. É um caso único de desenvolvimento de um projeto tão jovem e que gerou tanto interesse em tão pouco tempo.

openSUSE: a nova versão Leap era um dos lançamentos mais esperados de 2018, e pelo desempenho e estabilidade entregues, não temos do que reclamar. A atenção aos detalhes é outro ponto de destaque, e convenceu muitos usuários rapidamente.


Compartilhe